20:18 17 Maio 2021
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    Situação da COVID-19 em meados de abril no Brasil (74)
    182331
    Nos siga no

    Após a França ter banido voos com origem e para o Brasil, o embaixador brasileiro em Paris saiu em defesa do presidente Jair Bolsonaro e minimizou o impacto econômico da suspensão.

    Após o decreto do governo francês que suspende voos com origem e para o Brasil até 19 de abril, o embaixador brasileiro na França, Luís Fernando Serra, entrevistado pela BFM TV, negou a responsabilidade do presidente Bolsonaro na crise pandêmica. 

    COVID-19: o embaixador do Brasil em Paris estima que seu país seja o quinto no mundo a ter mais vacinados.

    A suspensão dos voos entre a França e o Brasil foi amplamente repercutida nos canais de televisão e rádio franceses, escreve a Rádio França Internacional.

    A decisão foi anunciada nessa terça-feira (13) pelo primeiro-ministro Jean Castex, pressionado pela grave situação sanitária no Brasil, e também em razão da variante brasileira, conhecida como P.1, considerada mais contagiosa. Até o dia 19 de abril, o governo francês estuda a adoção de medidas mais restritivas que permitiriam a retomada da ligação aérea.

    Entre as possibilidades, o isolamento obrigatório em um hotel será imprescindível, sendo que as despesas deverão ser pagas pelo viajante.

    Em Paris, policiais patrulham a avenida Champs Elysees durante lockdown na França, em meio à pandemia da COVID-19, em 31 de dezembro de 2020
    © Sputnik / Charles Platiau
    Em Paris, policiais patrulham a avenida Champs Elysees durante lockdown na França, em meio à pandemia da COVID-19, em 31 de dezembro de 2020

    'A culpa é da esquerda' acusa embaixador brasileiro

    Embaixador brasileiro em Paris, Luís Fernando Serra disse respeitar a "decisão soberana da França", mas minimizou seu impacto. Ele assinalou que "a economia do Brasil não depende do turismo".

    Luís Fernando Serra ainda negou a responsabilidade do presidente Jair Bolsonaro na crise. "Vocês pensam que o presidente Bolsonaro faz pouco? Que a culpa é do presidente? Essa é uma boa oportunidade para dizer que o Brasil já vacinou 31 milhões de pessoas e é o quinto país que mais vacinou no mundo segundo a OMS", afirmou o diplomata.

    Em seguida, ele disse que, em relação ao tamanho de sua população, "o Brasil é o 19° país em número de mortes por um milhão de habitantes". Ele disse que a culpa dos leitos lotados é da "esquerda", que não construiu hospitais quando "ficou no poder”.

    Sobre o lockdown, ele explicou que a culpa é do Supremo Tribunal Federal. "O presidente Bolsonaro é solidário, quer que as pessoas trabalhem. Tem 35 milhões de brasileiros que vivem da economia informal e tem que sair de casa trabalhar. O Brasil não tem um sistema social como a França. Se não trabalharem, eles vão morrer de outra coisa, de fome, de depressão", insistiu Serra.
    Manifestantes protestam na frente da Embaixada do Brasil em Paris, França, 23 de agosto de 2019 (foto de arquivo)
    © AP Photo / Daniel Cole
    Manifestantes protestam na frente da Embaixada do Brasil em Paris, França, 23 de agosto de 2019 (foto de arquivo)
    Tema:
    Situação da COVID-19 em meados de abril no Brasil (74)

    Mais:

    Macron amplia lockdown para toda a França e anuncia fechamento de escolas
    França ultrapassa EUA como aliada mais confiável da Índia no Indo-Pacífico, diz jornal
    Na França, fracasso da Lei do Clima coloca Macron como impostor, diz jornal
    Tags:
    COVID-19, voo internacional, voos, voo, Bolsonaro, turismo, economia, embaixador, França, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar