08:48 21 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    Coronavírus no mundo no início de abril de 2021 (58)
    0 81
    Nos siga no

    Autoridades de saúde francesas recomendaram nesta sexta-feira (9) que as pessoas com menos de 55 anos que receberam a primeira dose da vacina Oxford/AstraZeneca tomem a segunda dose de outro imunizante.

    A orientação se baseia na revelação de que o produto da AstraZeneca apresenta um risco de formação de coágulos sanguíneos, especialmente em mulheres com menos de 60 anos, mas a causa ainda é desconhecida.

    Segundo avaliação da Agência Europeia de Medicamentos (EMA), esses eventos colaterais são extremamente raros, atingindo 0,0003% dos vacinados. Assim, por considerar que os benefícios do imunizante contra a COVID-19 superam significativamente seus possíveis riscos, a EMA não indicou nenhum tipo de restrição ao uso dessa vacina. 

    ​Apesar dessa recomendação na França, as autoridades do país afirmam, de acordo com a AFP, que o imunizante da farmacêutica anglo-sueca seguirá desempenhando um papel central na estratégia nacional de vacinação, e pedem que as pessoas mais velhas sigam tomando essa vacina, sobretudo neste momento em que o país enfrenta um novo aumento no número de pacientes internados por conta do novo coronavírus.

    Há uma expectativa, ainda segundo a agência, de que a Alemanha recomende uma estratégia de dose de reforço semelhante para pessoas com menos de 60 anos. A Organização Mundial da Saúde (OMS), no entanto, diz ser muito cedo para saber se recomenda ou não essa mistura de vacinas.

    Tema:
    Coronavírus no mundo no início de abril de 2021 (58)

    Mais:

    Reino Unido é acusado pela França de 'chantagem' sobre entregas da vacina contra COVID-19
    França mobiliza 90 mil policiais para garantir lockdown em meio à piora da pandemia
    Macron amplia lockdown para toda a França e anuncia fechamento de escolas
    Tags:
    França, Alemanha, AFP, vacina, imunizante, vacinação, Oxford, COVID-19, novo coronavírus
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar