14:21 16 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    191458
    Nos siga no

    O Departamento de Estado dos EUA afirmou que há evidências e relatos "confiáveis" de uma suposta movimentação militar da Rússia na fronteira com a Ucrânia.

    Os Estados Unidos pediram à Rússia para explicar as recentes "provocações" na fronteira com a Ucrânia, disse o Departamento de Estado dos EUA nesta segunda-feira (5).

    Os EUA afirmam que relatórios sobre uma movimentação de militares da Rússia na fronteira com a Ucrânia são "confiáveis", escreve a Al-Jazzera. O porta-voz do Departamento de Estado dos EUA, Ned Price, ainda assinalou que o governo de Joe Biden estaria preocupado com qualquer esforço de Moscou para intimidar a Ucrânia.

    Ned Price, porta-voz do Departamento de Estado dos EUA, durante coletiva de imprensa no Departamento de Estado norte-americano em Washington, EUA, 25 de fevereiro de 2021
    © REUTERS / Nicholas Kamm
    Ned Price, porta-voz do Departamento de Estado dos EUA, durante coletiva de imprensa no Departamento de Estado norte-americano em Washington, EUA, 25 de fevereiro de 2021

    "Pedimos à Rússia uma explicação para essas provocações", disse Price, que em seguida afirmou: "Mas, mais importante, o que sinalizamos aos nossos parceiros ucranianos é uma mensagem de tranquilidade"

    A porta-voz da Casa Branca, Jen Psaki, disse aos repórteres que "as recentes escaladas da agressão russa e a escalada no leste da Ucrânia" são "algo que estamos observando de perto".

    Joe Biden acusa a Rússia de apoiar "separatistas na Ucrânia". Na sexta-feira (2), ele ligou para o presidente ucraniano, Vladimir Zelensky, e manifestou "apoio inabalável" ao país. Ainda na semana passada, a OTAN também expressou preocupação, fazendo acusações contra a Rússia.

    A Rússia nega que os movimentos militares representassem uma ameaça para a Ucrânia e rejeita os temores de um aumento de tensões. Ao mesmo tempo, a Rússia alertou que responderia a novas sanções ucranianas contra empresas russas.

    Na sexta-feira (2), o porta-voz do presidente russo, Dmitry Peskov, afirmou que a presença de militares dos Estados Unidos na Ucrânia exigirá a tomada de medidas adicionais pela Rússia para garantir a segurança nacional do país.

    "Certamente, esse desenvolvimento do cenário [presença de militares dos EUA na Ucrânia] levaria a um futuro aumento de tensões perto das fronteiras russas. Claro, isso exigirá medidas adicionais do lado da Rússia para garantir sua segurança", declarou Peskov aos jornalistas.
    Militares vigiando a fronteira russo-ucraniana
    © AP Photo / Sergei Grits
    Militares junto da fronteira russo-ucraniana

    Mais:

    'Use todos os meios à sua disposição': Polônia e Ucrânia incitam Biden a 'pôr fim' ao Nord Stream 2
    Ucrânia propõe à OTAN usar seu espaço aéreo para monitoramento da fronteira com Rússia
    COVID-19: nova variante do coronavírus é descoberta na Ucrânia; país desmente
    Irã aponta falha humana em relatório final sobre queda de avião ucraniano, Ucrânia refuta conclusão
    Tags:
    crise ucraniana, crise política, Leste da Ucrânia, Rússia, EUA, Ucrânia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar