11:36 13 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    COVID-19 no mundo no final de março de 2021 (98)
    2132
    Nos siga no

    Em um comunicado nesta segunda-feira (22), a Agência Europeia de Medicamentos (EMA) desaconselhou o uso de ivermectina no tratamento ou na prevenção contra a COVID-19.

    O órgão concluiu que o medicamento não tem eficácia contra a doença, segundo dados que existem até o momento. O remédio é indicado para tratar infestações de parasitas como piolho e sarna.

    "Os medicamentos com ivermectina não estão autorizados para uso na COVID-19 na União Europeia e a EMA não recebeu nenhum pedido para esse uso", disse a agência no comunicado.

    A agência explicou que alguns testes laboratoriais já detectaram que o fármaco é capaz de impedir a reprodução do vírus SARS-CoV-2, mas em concentrações "muito mais altas do que as alcançadas com as doses atualmente autorizadas".

    Com isso, o remédio não seria suficiente para conter o avanço da doença em um ser humano, segundo a EMA.

    "Os resultados dos estudos clínicos foram variados, com alguns estudos mostrando nenhum benefício e outros relatando um benefício potencial. A maioria dos estudos revisados ​​pela EMA era pequena e tinha limitações adicionais, incluindo diferentes regimes de dosagem e uso de medicamentos concomitantes. A EMA concluiu, portanto, que a evidência atualmente disponível não é suficiente para apoiar o uso de ivermectina para COVID-19 fora dos ensaios clínicos", informou.

    Desde o ano passado, o presidente brasileiro Jair Bolsonaro vem defendendo o uso da ivermectina e da hidroxicloroquina como tratamento precoce contra a doença, apesar de estudos já indicarem a ineficácia dos remédios.

    Presidente Jair Bolsonaro mostra caixa de cloroquina durante cerimônia de posse do ministro da Saúde, general Eduardo Pauzello, no salão nobre do Palácio do Planalto, em Brasília (DF)
    © Folhapress / Edu Andrade/Fatopress
    Presidente Jair Bolsonaro mostra caixa de cloroquina durante cerimônia de posse do ministro da Saúde, general Eduardo Pauzello, no salão nobre do Palácio do Planalto, em Brasília (DF)

    Agência Europeia de Medicamentos ressaltou ainda que o uso indiscriminado de ivermectina pode levar a efeitos colaterais indesejados.

    O órgão advertiu que, em altas doses, o medicamento pode ser tóxico ao organismo.

    Tema:
    COVID-19 no mundo no final de março de 2021 (98)

    Mais:

    Medidas contra COVID-19: Rio e Niterói fecharão escolas, bares e restaurantes por 10 dias
    Variante brasileira da COVID-19 na Venezuela será 'mais um round político entre Bolsonaro e Maduro'
    Brasil registra 1.570 mortes pela COVID-19 nas últimas 24 horas
    Tags:
    Jair Bolsonaro, medicamentos, Agência Europeia de Medicamentos, Europa, novo coronavírus, pandemia, COVID-19, remédio
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar