11:51 13 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    Pandemia de COVID-19 no mundo em meados de março de 2021 (83)
    593
    Nos siga no

    A polícia dos Países Baixos usaram canhões de água no centro da cidade de Haia para dispersar um protesto contra as rigorosas medidas restritivas do governo por causa da COVID-19, informou a mídia do país.

    Segundo Deutsche Welle, o comício contra as restrições e vacinação contra COVID-19 contou com a presença de mais de 200 pessoas, número que supera o permitido epidemiologicamente. O relatório acrescentou que os manifestantes ignoraram as regras de distanciamento social e os apelos à dispersão.

    Polícia holandesa patrulha rua durante protesto de fazendeiros em Haia, em 19 de fevereiro de 2020
    © AP Photo / Peter Dejong
    Polícia holandesa patrulha rua durante protesto de fazendeiros em Haia, em 19 de fevereiro de 2020

    Os policiais então recorreram ao uso de canhões de água enquanto os manifestantes gritavam "Liberdade!" e "Não à ditadura!".

    Na semana passada, a polícia deteve 28 pessoas em Amsterdã durante uma manifestação não autorizada semelhante contra a política anticoronavírus do governo, que contou com a presença de quase 700 pessoas.

    Em 23 de janeiro, os Países Baixos emitiram uma declaração de toque de recolher até 31 de março, impondo uma multa de 95 euros por descumprimento. Isso desencadeou protestos em massa em todo o país. Os comícios em Amersfoort e 's-Hertogenbosch tornaram-se violentos, enquanto as manifestações em Rotterdam e no Harlem se transformaram em confrontos com a polícia.

    Tema:
    Pandemia de COVID-19 no mundo em meados de março de 2021 (83)

    Mais:

    Países Baixos têm surto de gripe aviária e abaterão mais de 100 mil aves
    Explosão ocorre perto de centro de testagem para COVID-19 nos Países Baixos
    'Grita ou canta': inventor dos Países Baixos cria teste inovador para detectar COVID-19 (VÍDEO)
    Tags:
    toque de recolher, COVID-19, pandemia, protestos, Polícia, Países Baixos, Holanda
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar