10:11 11 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    135
    Nos siga no

    A União Europeia (UE) declarou a chefe da missão diplomática da Venezuela no bloco comunitário, Claudia Salerno, como "persona non grata", em resposta à expulsão da representante da UE no país sul-americano.

    O Conselho da UE assinalou nesta quinta-feira (25) em comunicado que, "por iniciativa do alto representante da União para as Relações Exteriores e Assuntos de Segurança", o espanhol Josep Borrell, o órgão determinou que "a chefe da missão da República Bolivariana da Venezuela junto à União Europeia seja declarada persona non grata".

    O órgão acrescentou que essa medida foi adotada em resposta à decisão da Venezuela de expulsar a embaixadora do bloco em Caracas, a diplomata portuguesa Isabel Brilhante.

    "A UE considera que esta declaração [de persona non grata para Brilhante] é totalmente injustificada e contrária ao objetivo da União de desenvolver relações e construir parcerias em outros países", diz a nota.

    Ontem (24), o ministro das Relações Exteriores da Venezuela, Jorge Arreaza, informou que Brilhante tinha 72 horas para deixar a Venezuela, uma decisão que ele afirmou ser uma resposta às sanções impostas pelo bloco contra 19 indivíduos do país sul-americano em 22 de fevereiro.

    Esta, no entanto, não é a primeira vez que Caracas ordena a expulsão de Brilhante. Em 29 de junho de 2020, a Venezuela decidiu expulsá-la depois que a UE colocou 11 funcionários do alto escalão do Estado venezuelano em sua lista negra.

    Em julho, o governo de Nicolás Maduro anulou a expulsão de Brilhante após uma conversa entre Arreaza e Borrell, que chegaram a um acordo sobre a necessidade de manter relações diplomáticas entre as partes para facilitar os caminhos do diálogo político.

    Mais:

    Venezuela denuncia na ONU danos causados por medidas coercitivas dos EUA
    UE confirma que já não considera mais Guaidó presidente interino da Venezuela
    Relatora da ONU pede que sanções unilaterais dos EUA e UE contra Venezuela sejam suspensas
    Tags:
    diplomacia, Venezuela, Conselho da UE, União Europeia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar