01:21 09 Março 2021
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    6192
    Nos siga no

    Embaixador da União Europeia no Brasil afirmou que a ratificação do acordo, negociado ao longo de duas décadas, depende das decisões do governo Bolsonaro.

    Não há hipótese no momento de a França ratificar o acordo de livre comércio entre a União Europeia (UE) e o Mercosul, afirmou uma autoridade do palácio presidencial nesta segunda-feira (22).

    "As condições para repensarmos são numerosas e drásticas e de momento não há hipóteses de serem cumpridas pelos países em questão", disse o responsável, citado pela agência Reuters.

    A França, maior produtor agrícola da UE, tem sido um dos adversários mais virulentos da versão atual do acordo com os países sul-americanos, que reúne Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai, o quarto maior bloco comercial do mundo.

    O acordo foi fechado em 2019, mas ainda não foi ratificado. A França cita preocupações acerca do risco de um aumento nas exportações agrícolas da América do Sul para a Europa e o impacto do acordo sobre as florestas e o clima.

    Bandeiras do Brasil e do Mercosul (foto de arquivo)
    © AP Photo / Eraldo Peres
    Bandeiras do Brasil e do Mercosul (foto de arquivo)

    No início do mês, uma carta assinada por 65 eurodeputados e enviada ao primeiro-ministro português, António Costa, pressiona para que o acordo comercial seja suspenso. Os signatários alegam que o acordo provocará aumento do desmatamento devido sobretudo à política ambiental do Brasil.

    Ignacio Ybañez, embaixador da União Europeia no Brasil, disse, também no início do mês, que a ratificação do acordo, negociado ao longo de duas décadas, depende das decisões do governo Bolsonaro.

    "Precisamos de fatos. Se não houver avanços, não será possível assinar este acordo. Continuaremos demandando do Brasil, até que haja resultados concretos. O Brasil sabe o que precisa ser feito", afirmou Ybañez.

    O governo brasileiro rejeita as críticas de que não está fazendo o suficiente para conter o desmatamento na Amazônia, e argumenta que a pressão da UE sobre o Brasil advém de interesses protecionistas.

    Mais:

    Uruguai procura fortalecer Mercosul apesar de atritos entre membros, diz vice-presidente à Sputnik
    Em 1ª reunião bilateral, Fernández pede pelo fortalecimento do Mercosul a Bolsonaro
    Fórum de Davos: França exige, mais uma vez, garantias para validar o acordo entre UE e Mercosul
    Bolsonaro almoça com presidente do Uruguai e fala em flexibilizar Mercosul
    Tags:
    Acordo de Livre Comércio entre União Europeia e Mercosul, Mercosul, União Europeia, Jair Bolsonaro, António Costa, Portugal, França, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar