18:31 16 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    Pandemia da COVID-19 no mundo em meados de fevereiro de 2021 (110)
    7640
    Nos siga no

    Se a União Europeia e os Estados Unidos não fornecerem rapidamente vacinas contra a COVID-19 aos países africanos, eles as comprarão diretamente da Rússia e da China, afirmou nesta sexta-feira (19) o presidente francês, Emmanuel Macron.

    Em discurso durante participação na Conferência de Segurança de Munique, o chefe de Estado da França destacou que a União Europeia anunciou uma importante quantia de assistência financeira para ajudar a África no combate à pandemia da COVID-19. Mas isso, segundo ele, não é suficiente. 

    ​"E há uma ideia que defendo. Há 6,5 milhões de profissionais de saúde na África e precisamos de 13 milhões de doses de vacinas para proteger os profissionais de saúde na África", destacou.

    Segundo o presidente francês, se a UE e os EUA conseguirem entregar essas doses de vacinas rapidamente, isso será um grande sucesso. Se não, os africanos buscarão outras fontes.

    "Isso é algo que precisamos fazer imediatamente. Mas se anunciarmos hoje que vamos dar dinheiro, bilhões de euros em seis meses, bem, nesse caso, nossos amigos africanos vão comprar vacinas diretamente da Rússia, da China ou de empresas farmacêuticas", disse Macron.

    Tema:
    Pandemia da COVID-19 no mundo em meados de fevereiro de 2021 (110)

    Mais:

    Moscou anuncia testes internacionais da versão 'light' da vacina Sputnik V
    Falta de vacinas não é culpa da Anvisa, mas do governo, avaliam especialistas em saúde pública
    Distribuição da vacina russa Sputnik V na América Latina pode danificar 'prestígio dos EUA', diz CNN
    Tags:
    Emmanuel Macron, Conferência de Segurança de Munique, UE, União Europeia, EUA, Estados Unidos, França, China, Rússia, vacina, novo coronavírus, COVID-19
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar