05:05 01 Março 2021
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    Pandemia da COVID-19 no mundo em meados de fevereiro de 2021 (110)
    1110
    Nos siga no

    "Fiasco". É assim que o ex-primeiro-ministro da Bélgica Guy Verhofstadt avalia a condução da vacinação contra a COVID-19 na União Europeia.

    O ex-premiê e atual membro do Parlamento Europeu não poupou críticas a Ursula von der Leyen, presidente da Comissão Europeia. Verhofstadt acusa von der Leyen de "prolongar drasticamente a pandemia de COVID-19 na Europa continental" com medidas muitas vezes mal pensadas.

    "Eu chamei de fiasco e é fiasco. Após dois meses, a distribuição de vacinas é dramaticamente baixa na Europa. Em média, não mais do que 4% dos cidadãos europeus receberam a primeira dose", disse Verhofstadt ao jornal britânico The Times.

    Entre as atitudes mal pensadas, o ex-premiê belga destacou a autorização de exportação de vacinas que foi anunciada no final de janeiro. O ex-líder da Bélgica não está nada satisfeito com o fato de a aquisição de imunizantes por parte dos países do bloco europeu ter de permanecer limitada à gestão da Comissão Europeia.

    "A União Europeia [UE] é líder mundial na produção de vacinas, mas há falta de abastecimento em todos os países da UE. É uma carência não vista nas mesmas proporções dramáticas nos Estados Unidos, Canadá ou Reino Unido. Nos Estados Unidos, quase 10% da população recebeu a primeira vacina. No Reino Unido, 20%", argumentou Verhofstadt.

    De acordo com Verhofstadt, a Comissão Europeia precisa agora "renegociar [acordos sobre as vacinas], com compromissos vinculativos e prazos obrigatórios, e acelerar a autorização das próximas vacinas".

    O ex-primeiro-minsitro da Bélgica e atual membro do Parlamento Europeu, Guy Verhofstadt.
    © AP Photo / Francisco Seco
    O ex-primeiro-minsitro da Bélgica e atual membro do Parlamento Europeu, Guy Verhofstadt

    A União Europeia, cujos países somam uma população de cerca de 445 milhões, administrou a primeira dose em 21,7 milhões de pessoas – o que corresponde a 4,7% da população do bloco europeu. Em proporção, o bloco é o sexto na corrida mundial pela vacinação, atrás de Israel (que imunizou 76,3% de sua população), Emirados Árabes Unidos (51,4%), Reino Unido (23,3%), EUA (15,8%) e Chile (11,2%).

    O bloco europeu está logo à frente de China (2,8%), Rússia (2,7%) e Brasil (2,5%). Todos os números são do site Our World in Data.

    Tema:
    Pandemia da COVID-19 no mundo em meados de fevereiro de 2021 (110)

    Mais:

    Reino Unido apoia os EUA exigindo maior clareza na investigação sobre a COVID-19 na China
    Coreia do Norte tentou roubar tecnologia de vacina da Pfizer contra COVID-19, segundo inteligência
    África do Sul devolverá 1 milhão de doses da vacina da AstraZeneca contra COVID-19, diz mídia
    Duas vacinas russas contra COVID-19 são eficazes contra nova cepa britânica do coronavírus
    Tags:
    Comissão Europeia, Bélgica, Guy Verhofstadt, vacina, novo coronavírus, pandemia, COVID-19, Parlamento da União Europeia, União Europeia, Ursula von der Leyen
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar