03:49 14 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    0 85
    Nos siga no

    Ministro francês teme que a dependência da Europa de componentes eletrônicos da Ásia esteja tornando a União Europeia "vulnerável" em setores como a fabricação de automóveis.

    O ministro da Economia e das Finanças da França, Bruno Le Maire, pediu nesta segunda-feira (15) um novo plano de componentes eletrônicos para reduzir a dependência europeia de fornecedores asiáticos.

    A dependência "excessiva e inaceitável" da Europa de componentes eletrônicos da Ásia está tornando a União Europeia (UE) "vulnerável" em setores como a fabricação de automóveis, lamentou Le Maire em declarações aos repórteres após uma conversa com o comissário europeu para o Mercado Interno, Thierry Breton, informa a agência Reuters.

    Le Maire também levantou preocupações sobre os planos de aquisições por empresas estrangeiras de empresas da UE no setor eletrônico.

    Ministro da Economia da França Bruno Le Maire em conferência de imprensa
    © AP Photo / Kamil Zihnioglu
    Ministro da Economia da França Bruno Le Maire em conferência de imprensa

    Em dezembro, a gigante taiwanesa de semicondutores GlobalWafers anunciou a compra da fornecedora alemã de pastilhas de silício Siltronic, mas o negócio ainda está em revisão pelas autoridades de concorrência e não deve ser concluído até o segundo semestre de 2021.

    "Acreditamos ser essencial reforçar a estratégia industrial europeia com os objetivos de reter as capacidades industriais da Europa, desenvolvendo-as em um futuro próximo e garantindo a independência estratégica da Europa", disse o ministro francês.

    Le Maire também exortou a UE a adotar "a partir deste ano" um novo plano para ajudar a indústria eletrônica da Europa a recuperar sua independência dos gigantes asiáticos, sinalizando que "a França já identificou 18 projetos" que seriam "elegíveis" para uma sociedade mista.

    O ministro francês também destacou a necessidade de a UE definir seu próprio plano de lançadores espaciais até junho, já que Bruxelas está buscando solidificar uma estratégia espacial independente para competir com a tecnologia norte-americana e chinesa.

    Mais:

    França registra 4 casos da variante brasileira do novo coronavírus
    França, Alemanha, Reino Unido e EUA querem 'reviver' vínculos transatlânticos
    Explosão em Bordeaux, França, deixa 5 feridos, 2 pessoas estão desaparecidas, diz mídia (FOTOS)
    Google é multado na França em 1,1 milhão de euros por classificações 'enganosas' de hotéis
    Tags:
    Ásia, novas tecnologias, tecnologias, tecnologia, União Europeia, França
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar