13:10 25 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    Pandemia da COVID-19 no mundo em meados de fevereiro de 2021 (110)
    0 51
    Nos siga no

    O governo de Portugal decidiu neste sábado (13) prolongar a suspensão de voos do Brasil e do Reino Unido até o dia 1º de março para evitar o aumento de casos de COVID-19 com a circulação de novas variantes.

    O Ministério do Interior do país escreveu em um comunicado, citado pela agência Reuters, que só estão permitidas de entrar no país pessoas ou organizações em missões humanitárias e repatriações de cidadãos portugueses e residentes.

    Portugal havia suspendido voos vindos do Brasil no fim de janeiro. A medida tinha duração de apenas duas semanas. Agora, estendeu-se este prazo.

    Os portugueses ou residentes que desejarem voltar ao país precisam apresentar teste negativo de COVID-19 realizado no máximo 72 horas antes de a decolagem e fazer quarentena por 14 dias ao chegar no país.

    ​A variante inicialmente detectada no Reino Unido foi vista pela primeira vez em Portugal no fim do ano passado. Desde então Portugal viu os casos de COVID-19 aumentarem e os sistemas de saúde ficaram sobrecarregados.

    A variante inicialmente detectada no Brasil apareceu em Portugal pela primeira vez na quarta-feira (10). Portugal registra até o momento 15.034 mortes por COVID-19 e 781.223 casos confirmados.

    Tema:
    Pandemia da COVID-19 no mundo em meados de fevereiro de 2021 (110)

    Mais:

    Portugal pode ficar sem leitos de UTI para pacientes com a COVID-19
    Ucrânia sanciona companhias aéreas de Moldávia e Portugal por voos a Rússia e Crimeia
    Militar que assume plano de vacinação contra COVID-19 em Portugal já foi condecorado por Bolsonaro
    COVID-19: com escolas fechadas em Portugal, brasileiros contratam até babá para ajudar crianças
    Portugal começa a vacinar bombeiros contra COVID-19
    Tags:
    COVID-19, Portugal, voos, voos comerciais, suspensão, novo coronavírus, pandemia, Reino Unido, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar