22:18 25 Fevereiro 2021
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    5411
    Nos siga no

    A União Europeia (UE) está pedindo à China que reverta a recente decisão de proibir a transmissão da emissora britânica BBC Mundo no país asiático.

    O pedido foi transmitido pela porta-voz da política externa do bloco europeu, Nabila Massrali, nesta sexta-feira (12).

    "Em 11 de fevereiro [quinta-feira], a China proibiu a BBC de transmitir no país, em conexão com sua reportagem sobre Xinjiang e sobre a gestão da pandemia da COVID-19 [...]. A decisão de proibir a BBC deve ser revertida", disse Massrali em um comunicado à imprensa.

    Na quinta-feira (11), a Administração Nacional de Rádio e Televisão da China disse que a decisão de proibir a transmissão da BBC Mundo por pelo menos um ano foi tomada devido a preocupações com a imparcialidade da emissora. Segundo órgão chinês, as preocupações se estendiam a supostas violações da BBC dos regulamentos chineses que regem os meios de comunicação estrangeiros.

    Bandeiras do Reino Unido e China.
    © AFP 2021 / DAMIR SAGOLJ
    Bandeiras do Reino Unido e China.

    Uma semana atrás, o órgão regulador de mídia do Reino Unido, OFCOM, anunciou que revogaria a licença da emissora estatal chinesa CGTN. Como forma de resposta, Pequim disse que se reserva ao direito de decretar medidas retaliatórias.

    A BBC, no início deste mês, publicou uma reportagem afirmando que mulheres uigures na região chinesa de Xinjiang foram vítimas de agressão sexual. A alegação foi negada pelo porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Wang Wenbin, em 4 de fevereiro.

    Mais:

    Investigando COVID-19: China insta EUA a receberem equipe da OMS no país assim como Pequim autorizou
    Interferindo em democracias: EUA acusam China de conduta 'predatória' em informação e tecnologia
    Boris Johnson ataca BBC e coloca em questão imparcialidade da emissora
    Tags:
    COVID-19, CGTN, Reino Unido, União Europeia, BBC, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar