14:33 16 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    414
    Nos siga no

    A Alemanha planeja conceder asilo a 50 membros da oposição bielorrussa e suas famílias, informou o jornal alemão Sueddeutsche Zeitung nesta quinta-feira (11), citando um documento produzido pelo Ministério do Interior do país.

    As intenções do governo foram anunciadas dias após a chanceler alemã Angela Merkel reiterar, no sábado (6), o apoio de Berlim à oposição bielorrussa, dizendo que a Alemanha continuará a apoiar os meios de comunicação independentes e a facilitar o acesso a vistos e bolsas de estudo.

    Conforme publicado pelo jornal, os ministérios do Interior e das Relações Exteriores da Alemanha concordaram em oferecer asilo a até 50 membros da oposição, embora cada caso seja considerado separadamente.

    "A recepção [dos membros da oposição bielorrussa na Alemanha] deve começar o mais rápido possível", disse o jornal citando o documento.

    Manuel Sarrazin, legislador alemão, disse ao jornal que mais de 50 membros da oposição devem ter permissão para receber asilo no país. O ministro das Relações Exteriores da Alemanha, Heiko Maas, disse no sábado (6) que Berlim alocaria 21 milhões de euros (cerca de R$ 136 milhões) para apoiar a oposição bielorrussa nos próximos meses.

    Em Minks, manifestantes caminham durante protesto contra a reeleição do presidente do país Aleksandr Lukashenko, na Bielorrússia, em 9 de agosto de 2020.
    © Sputnik / Ilia Pitalev
    Em Minks, manifestantes caminham durante protesto contra a reeleição do presidente do país Aleksandr Lukashenko, na Bielorrússia, em 9 de agosto de 2020.

    A Bielorrússia passou por uma onda de protestos da oposição nos meses seguintes à eleição presidencial, realizada em agosto de 2020, que viu Aleksandr Lukashenko ser eleito presidente pela sexta vez.

    Após as eleições, várias figuras proeminentes da oposição, incluindo a ex-candidata presidencial Svetlana Tikhanovskaya, fugiram do país, e a União Europeia impôs sanções contra funcionários do governo bielorrusso.

    Lukashenko alega que os protestos da oposição são coordenados do exterior e exige que outros países se abstenham de interferir nos assuntos internos da Bielorrússia.

    Mais:

    Líder opositora da Bielorrússia recebe prêmio da União Europeia
    Lukashenko diz que a Bielorrússia elaborará uma reforma constitucional até o final de 2021
    Bielorrússia negocia vacina contra a COVID-19 com a China
    Tags:
    Angela Merkel, Aleksandr Lukashenko, Heiko Maas, Bielorrússia, Alemanha
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar