10:01 26 Julho 2021
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    5319
    Nos siga no

    O Canadá vai destinar 2,25 milhões de dólares canadenses (cerca de R$ 9,5 milhões) para apoiar membros de organizações que façam oposição ao governo da Bielorrússia.

    A doação foi anunciada neste domingo (7) pelo ministro das Relações Exteriores do país, Marc Garneau, por meio de uma nota.

    "O ministro das Relações Exteriores, Marc Garneau, anunciou hoje que o Canadá alocará 2,25 milhões de dólares canadenses [cerca de R$ 9,5 milhões] para apoiar organizações sociais que trabalham para promover a democracia na Bielorrússia", disse o comunicado.

    A nota observa também que o país já havia destinado 600 mil dólares canadenses (mais de R$ 2,5 milhões) para ajudar a sociedade bielorrussa, em particular mulheres e representantes da mídia independente.

    Anteriormente, a Alemanha também já havia doado quantias para a sociedade da Bielorrússia. O ministro das Relações Exteriores da Alemanha, Heiko Maas, anunciou que o país destinou cerca de 21 milhões de euros (cerca de R$ 135 milhões) para os opositores do país.

    Conforme observado pela chanceler alemã, Angela Merkel, o plano visa fornecer asilo e bolsas de estudo, bem como apoiar a mídia independente que trabalha na Bielorrúsia.

    Participantes de comício de oposição em Minsk, Bielorrússia, 25 de outubro de 2020
    © Sputnik / Viktor Tolochko
    Participantes de comício de oposição em Minsk, Bielorrússia, 25 de outubro de 2020

    A Bielorrússia tem sido palco de protestos desde o dia 9 de agosto de 2020, por conta dos resultados das eleições presidenciais que concederam o sexto mandato a Aleksandr Lukashenko, que permanece no poder desde 1994. De acordo com a contagem oficial de votos, Lukashenko obteve 80,1% dos votos, seguido por Svetlana Tikhanovskaya, 10,12%.

    A oposição bielorrussa não reconheceu os resultados e exige uma reeleição, uma opção que Lukashenko descartou veementemente. Vários países, incluindo os Estados Unidos, membros da União Europeia, o Reino Unido e a Ucrânia, também não reconhecem a reeleição de Lukashenko como legítima.

    Presidente da Belarus, Aleksandr Lukashenko (foto de arquivo)
    © Sputnik / Belta
    Presidente da Belarus, Aleksandr Lukashenko (foto de arquivo)

    Mais:

    Biden pede que comunidade internacional amplie sanções contra círculo de Lukashenko
    União Europeia impõe sanções a Lukashenko e mais 14 funcionários da Bielorrússia
    'Não podemos politizar', diz Lukashenko sobre morte de opositor
    EUA têm centros especiais na Ucrânia e Polônia coordenando protestos na Bielorrússia, diz Lukashenko
    Tags:
    doação, oposição, protesto, Aleksandr Lukashenko, Canadá
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar