08:54 13 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    Mundo vs. COVID-19 no final de janeiro de 2021 (110)
    180
    Nos siga no

    A Bielorrússia está trabalhando em um acordo com a China para garantir o fornecimento de uma vacina contra o novo coronavírus, disse o embaixador bielorrusso em Pequim, Yuri Senko, neste domingo (31).

    De acordo com o diplomata, o Ministério da Saúde da Bielorrússia, auxiliado pela embaixada bielorrussa, tem negociado ativamente com empresas chinesas para obter as vacinas.

    "Uma empresa com sua vacina já recebeu o registro e estamos trabalhando para assinar um acordo com essa empresa para fornecer a vacina à República da Bielorrússia", disse Senko em entrevista publicada pela emissora bielorrussa CTV.

    O embaixador lembrou que, tendo em vista o grande número de países que se voltaram para a China, a Bielorrússia estaria entre os primeiros a receber a vacina.

    Em Minsk, capital da Bielorrússia, uma mulher é vacinada contra a COVID-19 com a vacina russa Sputnik V, em 29 de dezembro de 2020
    © AP Photo / Julia Borodun
    Em Minsk, capital da Bielorrússia, uma mulher é vacinada contra a COVID-19 com a vacina russa Sputnik V, em 29 de dezembro de 2020
    "Isso também foi discutido durante uma conversa por telefone entre o líder da China, Sr. Xi Jinping, e [o presidente bielorrusso] Aleksandr Lukashenko", enfatizou Senko.

    Os dois líderes conversaram na terça-feira (26), sendo que o lado chinês confirmou estar pronto para fornecer vacinas suficientes para a Bielorrússia. No final da semana, o ministro das Relações Exteriores da Bielorrússia, Vladimir Makei, disse que Minsk espera receber algumas vacinas gratuitamente.

    Segundo os dados da Universidade Johns Hopkins, a Bielorrússia tem 248.336 casos confirmados de COVID-19, além de 1.718 mortes causadas pela doença.

    Tema:
    Mundo vs. COVID-19 no final de janeiro de 2021 (110)

    Mais:

    COVID-19: cismado com imunizantes dos EUA, Irã vai usar vacinas de Rússia, China, Índia e a nacional
    Líder opositora da Bielorrússia recebe prêmio da União Europeia
    Lukashenko diz que a Bielorrússia elaborará uma reforma constitucional até o final de 2021
    Tags:
    Minsk, Pequim, COVID-19, China, Bielorrússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar