15:28 21 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    0 40
    Nos siga no

    O ministro do Comércio da França, Franck Riester, afirmou nesta sexta-feira (29) que o governo francês não vai aprovar o acordo entre a UE (União Europeia) e o Mercosul sem que haja garantias de que as relações comerciais entre os dois blocos não trarão aumento do desmatamento.

    A declaração, escreve o Valor Econômico, foi feita no Fórum Econômico Mundial, que acontece de modo virtual em razão da pandemia de COVID-19.

    "É inconcebível que o aumento do comércio incremente também a importação de desmatamento. É preciso haver garantias na lei para combater o desmatamento importado. Esse é o problema que temos com o Mercosul", disse Riester.

    Representantes franceses já haviam indicado que serão oposição ao acordo comercial firmado em 2019 e chegaram a citar o Brasil diretamente.

    "Temos que ter a ambição de criar novos padrões que permitam impulsionar globalmente nossos objetivos sustentáveis, em vez de incentivar o oposto", defendeu o ministro Riester. Para ele, essa é a única forma de manter uma política econômica aberta e ter coerência com a necessidade de um desenvolvimento sustentável.

    ​O presidente da comissão de ambiente do Parlamento Europeu, Pascal Canfin, indicou que o tratado intercontinental, como está atualmente, pode não ser aprovado. "O Parlamento não tem nenhuma intenção de passar um cheque em branco ao Brasil sobre a Amazônia", concluiu.

    A afirmação reafirma o que presidente francês, Emmanuel Macron, disse neste mês sobre o comércio agropecuário com o Brasil. "Continuar dependendo da soja brasileira é endossar o desmatamento da Amazônia", escreveu em uma rede social.

    A publicação acompanha um vídeo em que Macron afirma que produzirá soja localmente para que o país não compactue com uma produção "a partir da floresta destruída no Brasil".

    Acordo UE-Mercosul

    O acordo entre União Europeia e Mercosul está paralisado desde 2019, quando atritos políticos relacionados à sustentabilidade e à proteção do meio ambiente começaram entre líderes europeus e o governo do presidente brasileiro.

    Lobby de agricultores de vários países da UE pressiona contra acordo com o Mercosul
    John Thys/AFP
    Lobby de agricultores de vários países da UE pressiona contra acordo com o Mercosul

    Mais:

    Protestos no Iraque somam 600 mortos, diz presidente iraquiano em Davos
    Em Davos, multinacionais sugerem distribuição de vacinas pelo setor privado
    No Fórum de Davos, Hamilton Mourão pede investimentos privados para proteção da Amazônia
    Tags:
    França, Fórum Davos, Mercosul, União Europeia, acordo, Amazônia, desmatamento
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar