11:38 05 Março 2021
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    Mundo vs. COVID-19 no final de janeiro de 2021 (110)
    0 211
    Nos siga no

    Com a aprovação, Hungria está mais próximo de se tornar primeiro país da UE a usar a vacina russa contra a COVID-19 Sputnik V.

    Desta forma, o país europeu aprovou o imunizante russo para uso emergencial. A aprovação foi baseada nos resultados dos testes clínicos realizados da vacina na Rússia, e na análise compreensiva de especialistas na Hungria, publicou o Fundo Russo de Investimentos Diretos (RFPI, na sigla em russo).

    O ministro das Relações Exteriores húngaro, Peter Szijjarto, que deverá visitar Moscou nesta semana, disse que o governo de seu país recebeu um esboço de contrato para comprar a vacina do Fundo Russo de Investimentos Diretos (RFPI, na sigla em russo), segundo publicou a agência Reuters.

    O chanceler húngaro também declarou que se a agência reguladora húngara aprovar a vacina russa, "então o contrato pode ser assinado [...] e a Hungria poderia receber um grande montante da vacina segura".

    Ainda na quarta-feira (20), a União Europeia declarou que não cobraria da Hungria explicações sobre suas intenções de comprar a vacina russa.

    Além da Sputnik V, a vacina da farmacêutica AstraZeneca contra o novo coronavírus também foi aprovada, segundo reportou o site Origo.hu.

    Anteriormente, a Sputnik V foi registrada para uso emergencial na Argélia, Argentina, Bolívia, Sérvia, Palestina, Venezuela, Paraguai, Turcomenistão, Bielorrússia e Rússia.

    De acordo com Kirill Dmitriev, chefe do RFPI, diversos países se interessam pela vacina russa Sputnik, enquanto sua produção é discutida com a Alemanha.

    Desenvolvida pelo Centro Nacional de Epidemiologia e Microbiologia Gamaleya, a Sputnik V foi a primeira vacina a ser registrada no mundo contra o vírus SARS-CoV-2.

    Tema:
    Mundo vs. COVID-19 no final de janeiro de 2021 (110)

    Mais:

    Vacinação só terá efeito na pandemia após 6 meses, afirma secretário de Saúde de SP
    Cuba produzirá 100 milhões de doses de vacina contra COVID-19
    OMS diz não ter conhecimento de mortes relacionadas ao uso da vacina da Pfizer
    Tags:
    União Europeia, Europa, COVID-19, novo coronavírus, imunizante, Hungria, vacina, Sputnik V
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar