11:38 25 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    2310
    Nos siga no

    Sanções dos EUA contra empresas do gasoduto Nord Stream 2 não terão efeito esperado e são inaceitáveis, declarou à Sputnik o chefe do Comitê de Energia do Bundestag (parlamento alemão), Klaus Ernst.

    As sanções dos Estados Unidos contra empresas do gasoduto Nord Stream 2 (Corrente do Norte 2) não terão efeito esperado e são inaceitáveis, declarou à Sputnik Klaus Ernst, o chefe do Comitê de Energia do Bundestag.

    "Eu acredito que as futuras sanções dos EUA contra as empresas que participam da construção do Nord Stream 2 também não terão efeito esperado. Apesar disso, são inaceitáveis! É insuportável como os EUA querem defender interesses econômicos de sua indústria de gás e assim transformar os chamados aliados nos executores das ordens", afirmou Klaus Ernst.

    O chefe do Comitê de Energia do Bundestag considera ser necessário chamar ao Ministério das Relações Exteriores da Alemanha o advogado dos assuntos da embaixada dos Estados Unidos, bem como esclarecimento do posicionamento do governo federal alemão.

    Ernst acrescentou que apoia a "prontidão da União Europeia de fazer ofertas concretas de como é possível aumentar o papel internacional do euro e expandir a regulamento bloqueador de sanções", e também a imposição de novas "taxas sobre a importação do gás dos EUA" devido às ações de Washington.

    Além do mais, o chefe do Comitê de Energia do Bundestag teme que o presidente eleito Joe Biden não venha a mudar a política econômica agressiva de Donald Trump, inclusive em relação ao Nord Stream 2.

    "Temo que o novo presidente [dos EUA] não mudará a política econômica agressiva de seu país", disse Ernst.

    O gasoduto Nord Stream 2, formado por uma aliança de empresas da Rússia, Alemanha, Áustria, França e Países Baixos, conectará os dois primeiros países pelo fundo do mar Báltico.

    Os Estados Unidos são contra a construção do gasoduto e oferecem para a Europa seu gás natural liquefeito. A construção foi suspensa em dezembro de 2019 depois que Washington ameaçou com sanções a empresa suíça Allseas, que realizava as obras.

    No início do mês passado, a Câmara dos Representantes e o Senado dos EUA decidiram impor sanções contra o gasoduto no orçamento da Defesa a partir do ano fiscal de 2021.

    Em janeiro, os EUA expandiram as sanções contra o Nord Stream 2, espalhando-as pelos serviços de testes, inspeção e certificação, como também pelos serviços ou capacidades para modernização de navios de apoio offshore especializados na colocação de tubos.

    Mais:

    Israel diz que se tornará totalmente independente na produção de gás
    EUA impõem sanções ao setor de defesa do Irã por venda de armas convencionais
    Deputado alemão chama de 'suicídio' possível rejeição ao gasoduto Nord Stream 2
    EUA adotam sanções contra ministro e Ministério do Interior de Cuba
    Tags:
    Nord Stream, EUA, sanções, gasoduto, empresas, Rússia, Alemanha
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar