11:50 16 Maio 2021
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    0 166
    Nos siga no

    O presidente-executivo da Ericsson, Borje Ekholm, teria pressionado ministra sueca para reverter o banimento da Huawei e da ZTE, ambas chinesas, na introdução da tecnologia 5G na Suécia.

    Ekholm teria pressionado a ministra do Comércio Exterior, Anna Hallberg, em uma série de mensagens telefônicas para revisar uma ordem da Autoridade Sueca de Correios e Telecomunicações (PTS, na sigla em sueco) que exigia que as operadoras removessem as empresas chinesas da infraestrutura existente usada para frequências 5G até janeiro de 2025, informou o jornal sueco Dagens Nyheter (DN), citado pela agência Bloomberg.

    Um porta-voz da Ericsson confirmou à agência Bloomberg que Ekholm estaria em contato com a ministra, algo que Hallberg refutou ao jornal sueco DN, adicionando que nunca se encontrou com Ekholm e que, enquanto ministra, nunca influenciou as decisões de autoridades individuais.

    A gigante sueca de telecomunicações obtém cerca de 10% de suas vendas da China, sendo a maior rival da Huawei no mercado de equipamentos de radiocomunicação análogos a celulares. A China alertou que as empresas suecas poderiam enfrentar "impactos negativos" da proibição se a decisão não fosse revogada. Perante isto, o primeiro-ministro sueco, Stefan Lofven, afirmou que o governo apoia a avaliação das autoridades.

    A proibição foi baseada em uma avaliação conduzida pela polícia sueca e agências militares, que concluíram que a influência do Estado chinês sobre o setor privado "traz consigo fortes incentivos para que as empresas privadas ajam de acordo com os objetivos do Estado e as estratégias nacionais do Partido Comunista [chinês]".

    Mais:

    Especialista avalia questão de empresas chinesas no 5G, após Mourão defender presença da Huawei
    Huawei diz levar agora menos de 30 segundos para produzir smartphone
    Governo Trump adicionará dezenas de empresas chinesas em lista negra, incluindo SMIC, diz mídia
    Tags:
    tecnologia 5G, China, Suécia, Huawei, Ericsson
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar