13:10 18 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    0 12
    Nos siga no

    Ao menos seis pessoas ficaram feridas no desabamento parcial de um prédio no centro de Lisboa provocado por uma explosão de gás.

    Neste domingo (20), uma explosão, seguida de desabamento e incêndio, atingiu um prédio de quatro andares, no centro de Lisboa, deixando ao menos uma pessoa gravemente ferida, e outras quatro com ferimentos leves.

    "A indicação que temos é que no prédio viviam nove pessoas. Dessas nove pessoas, há duas que já foram contatadas, não estavam no edifício. A priori, tudo indica que há cinco pessoas feridas, só nos falta confirmar se são pessoas do prédio ou transeuntes. Neste caso, suspeitamos que faltem duas pessoas. Vamos avançar com a equipe cinotécnica do Regimento de Sapadores Bombeiros", afirmou o vereador da Câmara Municipal de Lisboa com o pelouro da Proteção Civil , Carlos Manuel Castro, citado pelo jornal on-line Observador.

    Uma equipe de resgate com cães farejadores está no local, em busca de outras duas pessoas que poderiam estar no prédio.

    Suspeita-se que a causa do incêndio tenha sido uma fuga de gás. O fogo no interior do prédio já foi controlado.

    De acordo com o comandante dos bombeiros, Tiago Lopes, "uma das empenas do prédio não inspira confiança", o que impede que os bombeiros entrem no prédio para realizar as buscas dos dois desaparecidos, contudo, ressaltou que, caso os cães não consigam detectar as pessoas, os bombeiros terão de entrar no prédio para remover os escombros em busca dos sobreviventes.

    As operações de resgate no local contam com 80 pessoas, que tentam encontrar os desaparecidos.

    Mais:

    Brasileiros têm dificuldades de embarcar para Portugal; secretária de Turismo prevê solução em breve
    Graça Freitas, diretora-geral da Saúde de Portugal, testa positivo para COVID-19
    Força Aérea de Portugal moderniza frota de aviões C-130H (VÍDEO)
    Tags:
    bombeiros, incêndio, explosão de gás, explosão, prédio, Lisboa, Portugal
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar