23:06 08 Março 2021
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    Coronavírus no mundo em meados de dezembro (87)
    1123
    Nos siga no

    Ministro da Saúde afirma que OMS já foi notificada e relaciona surto de casos à nova variante do SARS-CoV-2. País é o mais atingido pela COVID-19 na Europa ocidental.

    O ministro da Saúde do Reino Unido, Matt Hancock, anunciou nesta segunda-feira (14) ao Parlamento britânico que uma nova cepa do novo coronavírus foi identificada no país, informou o jornal O Globo.

    A descoberta ocorre em meio à vacinação contra a COVID-19, iniciada na semana passada. Segundo Hancock, a Organização Mundial de Saúde (OMS) já foi notificada.

    A variante do SARS-CoV-2 poderia estar relacionada à alta de casos no sudeste da Inglaterra e se multiplicaria mais rapidamente do que as demais cepas do patógeno.

    Ainda segundo o ministro britânico, mais de mil casos já foram registrados no Reino Unido em mais de 60 localidades. Os números, descreveu Hancock, estão "crescendo rapidamente".

    Ele ponderou que ainda não há elementos que indiquem que a nova cepa tem maior probabilidade de agravar o quadro da COVID-19 do que as demais.

    "Nós identificamos uma nova variante do coronavírus que pode estar associada à disseminação acelerada [da COVID-19] no sudeste da Inglaterra", disse Hancock em uma reunião com parlamentares.

    Análises iniciais sugerem que essa variante está se multiplicando mais rapidamente do que as já existentes. 

    O ministro afirmou ainda que o laboratório de Porton Down, vinculado ao Ministério da Defesa britânico, fará testes para avaliar se a nova cepa é resistente a vacinas. Hancock ponderou, no entanto, que assessores médicos da pasta acreditam que essa possibilidade é "altamente improvável".

    Restrições mais rígidas

    Na mesma ocasião, Hancock confirmou que o governo britânico colocará a capital, Londres, sob nível mais rígido de restrições por conta da alta de casos de COVID-19. Outras cidades no entorno também entrarão em regime de confinamento.

    De acordo com os procedimentos previstos pelo governo, restaurantes, cafés e bares serão fechados e empresas deverão adotar o trabalho remoto para todos os serviços não essenciais.

    "Não sabemos até que ponto isso se deve à nova variante, mas, independentemente da causa, precisamos tomar ações decisivas e rápidas que, infelizmente, são absolutamente essenciais para controlar essa doença mortal enquanto executamos a vacinação", disse o ministro se referindo à alta de casos em regiões da Inglaterra.

    O Reino Unido é o país mais afetado pela COVID-19 na Europa Ocidental na frente da Itália e já soma mais de 1,8 milhão de casos da doença. Mais de 64 mil pessoas morreram por conta do novo coronavírus em solo britânico.

    O Reino Unido se tornou no último dia 8 o primeiro país ocidental a iniciar a vacinação contra a COVID-19 dentro dos procedimentos científicos.

    Tema:
    Coronavírus no mundo em meados de dezembro (87)

    Mais:

    Reino Unido dará prioridade a grupos de risco em vacinação contra a COVID-19
    Após Reino Unido, Bahrein também aprova uso de vacina da Pfizer contra a COVID-19
    Reino Unido anuncia abertura de 2 novos 'megalabs' para testes de COVID-19
    Tags:
    OMS, Itália, novo coronavírus, Londres, Reino Unido, COVID-19
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar