22:44 27 Julho 2021
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    Pandemia de COVID-19 no mundo no início de dezembro (93)
    120
    Nos siga no

    Até março do ano que vem, 23% da população será vacinada e a prioridade será para idosos em asilos ou para quem tem mais de 65 anos. Número de infectados diminuiu nas últimas semanas.

    A Noruega planeja usar as três vacinas desenvolvidas pelas farmacêuticas Moderna, AstraZeneca, em parceria com a Universidade de Oxford, e pela Pfizer em associação com a BioNTech em sua primeira inoculação da população contra a COVID-19, disse o ministro da Saúde na sexta-feira (4), segundo informou a agência Reuters.

    No primeiro trimestre de 2021, o governo espera receber um total de 2,5 milhões de doses cobrindo 1,25 milhões de pessoas, 23% da população, enquanto se aguarda a aprovação das vacinas pelos reguladores europeus.

    As doses envolveriam as pessoas de grupos de risco, disse o ministro Bent Hoeie, enquanto que os 340 mil profissionais de saúde em contato com os pacientes teriam que esperar.

    A Noruega não faz parte da União Europeia (UE), mas terá acesso a algumas das vacinas obtidas pela UE graças à Suécia, um membro do bloco que vai comprar mais do que precisa e as venderá à Noruega logo no começo do ano que vem.

    "Na Páscoa, poderemos estar em uma situação completamente diferente da atual", disse Hoeie.

    A Noruega está avançando mais rapidamente do que anunciado. A primeira-ministra Erna Solberg disse em outubro esperar que as vacinações começassem na primeira metade de 2021.

    Países em todo o mundo tentam vacinar o quanto antes à medida que os suprimentos de vacinas se tornam disponíveis e assim decidir quais grupos populacionais devem ser priorizados.

    O Reino Unido tornou-se na quarta-feira (2) a primeira nação ocidental a aprovar uma vacina contra a COVID-19, aquela desenvolvida pela norte-americana Pfizer e pela alemã BioNTech. A Moderna é norte-americana e a AstraZeneca, anglo-sueca.

    Na Noruega, as primeiras pessoas imunizadas serão moradores de asilos e idosos que vivem em casa, seguidos por pessoas com 65 anos ou mais e adultos mais jovens com condições pré-existentes.

    O país também vai fornecer vacinas gratuitas e vai torná-las parte do programa nacional de vacinação.

    O número de infecções diminuiu nas últimas semanas após o governo ter retomado restrições há um mês.

    O número cumulativo de casos da COVID-19 da Noruega por 100 mil habitantes durante 14 dias foi de 116,4 na sexta-feira (4), o quarto menor da Europa atrás da Islândia, Irlanda e Finlândia, de acordo com o Centro Europeu de Prevenção e Controle de Doenças.

    Tema:
    Pandemia de COVID-19 no mundo no início de dezembro (93)

    Mais:

    Na Espanha, mais da metade da população não quer tomar vacina contra a COVID-19 imediatamente
    Reino Unido dará prioridade a grupos de risco em vacinação contra a COVID-19
    Moscou inicia vacinação em massa contra COVID-19: confira história de voluntária dos testes
    Tags:
    União Europeia, Suécia, Pfizer, vacina, Noruega, COVID-19
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar