02:39 23 Janeiro 2021
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    280
    Nos siga no

    O presidente da Bielorrússia acusou previamente a Polônia, Ucrânia e Lituânia de orquestrar a agitação na Bielorrússia, que abalou o país após as eleições presidenciais de agosto.

    Os serviços de inteligência russos e bielorrussos descobriram centros de serviços especiais dos EUA, hostis a Minsk, em Kiev, Ucrânia, e perto de Varsóvia, Polônia, disse na sexta-feira (20) o presidente bielorrusso Aleksandr Lukashenko.

    "Não há um único polonês lá [...] Todos eles [nos centros] são americanos, pessoas inteligentes, talentosas, capazes", disse o presidente, acrescentando que, mesmo acreditando que os EUA estão "desestabilizando todo o planeta" através da Internet e tecnologias modernas, eles não serão capazes de esmagar a Bielorrússia.

    Protestos em massa da oposição irromperam na Bielorrússia após as eleições presidenciais de 9 de agosto, nas quais Lukashenko ganhou seu sexto mandato consecutivo, recebendo 80,1% dos votos, de acordo com dados oficiais das autoridades eleitorais.

    Minsk tem repetidamente afirmado que os protestos dentro do país estão sendo coordenados pela União Europeia e sobretudo pelos EUA e países como a Polônia, República Tcheca, Lituânia e Ucrânia.

    Mais:

    'Não podemos politizar', diz Lukashenko sobre morte de opositor
    Biden pede que comunidade internacional amplie sanções contra círculo de Lukashenko
    Opositora bielorrussa Svetlana Tikhanovskaya ameaça governo de seu país com greve geral
    Tags:
    República Tcheca, União Europeia, EUA, Varsóvia, Kiev, Lituânia, Ucrânia, Polônia, Aleksandr Lukashenko, Bielorrússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar