11:36 03 Dezembro 2020
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    2011
    Nos siga no

    O presidente da França afirmou que os países "jogam com o ressentimento pós-colonial" em entrevista publicada nesta sexta-feira (20).

    O presidente francês Emmanuel Macron denunciou a "estratégia" utilizada por "potências estrangeiras, como a Rússia ou a Turquia" para alimentar o sentimento antifrancês entre países da África.

    A declaração foi feita em entrevista à revista Jeune Afrique, publicada nesta sexta-feira (20).

    "Há uma estratégia em ação, às vezes liderada por líderes africanos, mas especialmente por potências estrangeiras, como a Rússia ou a Turquia, que jogam com o ressentimento pós-colonial", disse o chefe de Estado, segundo a AFP.

    Macron acusou ainda os dois países de financiarem pessoas que instigam sentimentos antifranceses na mídia.

    "Não devemos ser ingênuos: muitos daqueles que dão voz, que fazem vídeos, que estão presentes na mídia francófona são estipulados pela Rússia ou pela Turquia", disse o presidente francês.
    Presidente da Rússia, Vladimir Putin, e presidente da França, Emmanuel Macron, durante o recente encontro no sul da França
    © Sputnik / Sergei Guneev
    Presidente da Rússia, Vladimir Putin, e presidente da França, Emmanuel Macron, durante o recente encontro no sul da França

    Apesar das declarações publicadas nesta sexta, o histórico recente entre Macron e Putin mostra uma boa relação entre França e Rússia. Em junho, os chefes de Estado se reuniram e se mostraram confiantes quanto à cooperação entre as duas nações. A aproximação entre Macron e Putin teria, inclusive, gerado desconforto entre alguns aliados europeus da França, segundo a AFP reportou à época.

    O mesmo não pode ser dito sobre as relações recentes entre França e Turquia. No fim de setembro, Macron avaliou que as declarações turcas diante do conflito armado em Nagorno-Karabakh foram perigosas e carregadas de retórica de guerra. Em resposta, a Turquia disse "se o presidente Macron não se preocupa com [a situação] dos territórios azeris, então sua solidariedade com a Armênia significa suporte à ocupação".

    Mais:

    Macron vai propor reforma do espaço Schengen após fortalecer fronteiras francesas
    Macron: Europa precisa de sua própria soberania em defesa, mesmo com novo governo nos EUA
    Perda de 'princípios fundadores': Macron critica mídia dos EUA por culpar Paris por atos terroristas
    Tags:
    África, Emmanuel Macron, Turquia, França
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar