08:46 28 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    0 131
    Nos siga no

    Maia Sandu, ex-primeira-ministra e líder do partido oposicionista Ação e Solidariedade, venceu no segundo turno das eleições presidenciais da Moldávia com 57,75% dos votos após conclusão da apuração, segundo a Comissão Eleitoral Central (CEC) moldava.

    No domingo (15), Moldávia realizou o segundo turno das eleições presidenciais, com o atual presidente Igor Dodon disputando contra a ex-primeira-ministra e líder do partido Ação e Solidariedade Maia Sandu, que ocupará o cargo nos próximos quatro anos.

    Segundo dados da CEC publicados nesta segunda-feira (16), 52,78% dos eleitores votaram. Na Moldávia, votação não é obrigatória. Maia Sandu será a primeira mulher presidente da Moldávia.

    Igor Dodon promete contestar vitória da Maia Sandu na Justiça

    O atual presidente e candidato à reeleição, Igor Dodon, felicitou Maia Sandu pela vitória preliminar nas eleições presidenciais.

    "Os resultados preliminares mostram que Maia Sandu venceu. Eu a parabenizo pela vitória preliminar, mas o ponto final no processo eleitoral será definido quando todas as denúncias de violações forem verificadas", afirmou o atual presidente da Moldávia.

    Além disso, Dodon informou que sua equipe de campanha eleitoral registrou quantidade de violações sem precedentes durante as eleições.

    Presidente da Moldávia Igor Dodon durante uma reunião com Vladimir Putin, 17 de janeiro de 2017
    © Sputnik / Aleksei Druzhinin
    Presidente da Moldávia Igor Dodon durante uma reunião com Vladimir Putin, 17 de janeiro de 2017
    "Minha equipe de campanha eleitoral registrou uma quantidade sem precedentes de irregularidades eleitorais, vamos verificar todas", ressaltou Dodon.

    O atual presidente declarou que vai aos tribunais para contestar os resultados das eleições presidenciais.

    "Prometo aos meus apoiadores que não cederei. Devemos utilizar todos os meios legais para defender os interesses dos nossos cidadãos para protestar contra os resultados das eleições, recorrer à Comissão Eleitoral Central, ao tribunal e à Câmara de Recursos ao Tribunal Constitucional", disse.

    Mais:

    Trump afirma que não aceita a derrota nas eleições, porque foram falsificadas
    'Laranjal': eleições têm ao menos 5 mil candidatas de fachada, aponta estudo
    Bolsonarismo: derrotado ou vitorioso nas eleições municipais? 
    Tags:
    oposicionistas, Europa, eleições presidenciais, Moldávia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar