02:07 26 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    4018
    Nos siga no

    Os ministros das Relações Exteriores de Alemanha e França pediram à Rússia e às repúblicas não reconhecidas no leste da Ucrânia que reabrissem imediatamente todas as passagens existentes na linha de contato na região de Donbass.

    O pedido foi feito nesta sexta-feira (13) em um comunicado conjunto, emitido pelo Ministério das Relações Exteriores alemão.

    "Apelamos à Rússia e aos separatistas para reabrir todos os pontos de passagem existentes na linha de contato na região de Donetsk sem demora. Milhares de pessoas que precisam se consultar com médicos, receber aposentadoria ou visitar parentes estão atualmente proibidas de cruzar a linha de contato. O conflito não pode continuar a ser feito às custas da população, as divisões não devem aumentar", diz o comunicado.
    Blindados e militares em Lugansk, Donbass
    © Sputnik / Stringer
    Blindados e militares em Lugansk, Donbass

    Os ministérios alemão e francês expressaram que apesar de um acordo no Grupo de Contato Trilateral, as forças de Donbass não cumpriram suas obrigações de permitir a abertura dos pontos de passagem em Zolote e Schastya em 10 de novembro, conforme combinado.

    "Pedimos à Rússia para usar sua influência para garantir que esses acordos sejam implementados. Como membro do Grupo de Contato Trilateral, a Rússia também está em negociações diretas com a Ucrânia e tem uma parte da responsabilidade pela implementação bem-sucedida das conclusões da Cúpula de Paris", conclui o comunicado conjunto.

    Mais:

    Rússia diz que cidadãos de Donbass podem solicitar cidadania russa e manter a ucraniana
    Peskov: Rússia discorda da Turquia que pensa ser possível apaziguar Nagorno-Karabakh pela força
    Coreia do Sul detém 2 estrangeiros por colarem cartazes com ameaças na embaixada da França
    Alemanha rejeita caças norte-americanos F-35
    Tags:
    relações exteriores, Donbass, Rússia, França, Alemanha
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar