18:20 24 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    0 10
    Nos siga no

    Karl Nehammer informou também que 14 pessoas entre 18 e 28 anos foram presas como potenciais cúmplices do atentado.

    O homem que matou quatro pessoas num ataque a tiros na capital Viena na segunda-feira (2) agiu sozinho, disse o ministro austríaco do Interior confirmando o que as autoridades já suspeitavam. Karl Nehammer informou em entrevista coletiva que a polícia estudou 20 mil imagens de vídeo apresentadas por voluntários.

    "Graças à análise destas gravações, determinamos que a hipótese de um terrorista solitário era verdadeira", disse.

    Na mesma entrevista coletiva, Nehammer informou que 14 pessoas foram detidas como potenciais cúmplices.

    "Os detidos têm entre 18 e 28 anos de idade, todos eles se movimentaram internacionalmente no passado e alguns deles não são cidadãos austríacos", disse o ministro.

    As autoridades já tinham identificado o agressor, que usou espingarda de assalto e um falso colete suicida, como Kujtim Fejzula, 20 anos, que tinha nacionalidades austríaca e macedónia.

    O jovem morto pela polícia no tiroteio já tinha cumprido pena na prisão após uma condenação em abril de 2019 por tentar viajar para a Síria e se juntar ao Daesh, autointitulado Estado Islâmico, grupo terrorista proibido na Rússia e em vários países. Mas ele ganhou liberdade  antecipada da sua pena de 22 meses de prisão em dezembro, de acordo com a lei juvenil.

    As autoridades tinham inicialmente temido que vários pistoleiros estivessem envolvidos no ataque, mas Nehammer disse aos repórteres no início da tarde que as provas não mostravam qualquer indicação de outros agressores.

    Nehammer acrescentou que 18 propriedades na capital austríaca e arredores foram revistadas. E que a polícia suíça prendeu dois homens, com 18 e 24 anos, perto de Zurique.

    Quatro pessoas - dois homens e duas mulheres - foram mortas no que o chanceler Sebastian Kurz chamou de "um repulsivo ataque terrorista", uma vez que os residentes da capital desfrutaram de uma última noite antes de a cidade entrar num bloqueio parcial contra a COVID-19. Uma das vítimas foi um cidadão alemão, informação confirmada pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros da Alemanha. Outras 22 pessoas ficaram feridas, algumas delas gravemente, segundo a agência de notícias austríaca APA. 

    Kurz convocou o Conselho de Segurança Nacional para discutir as próximas medidas e salientou que o fato de os ataques terem sido levados a cabo por muçulmanos não significava que os austríacos "deveriam condenar todos os membros de uma religião".

    Um minuto de silêncio foi realizado em todo o país na terça-feira (3) à tarde para homenagear as vítimas.

    Mais:

    Mídia revela detalhes do atirador morto durante ataque em Viena
    Promotor francês: 9 pessoas são detidas após ataque ao professor, uma delas tem familiar do Daesh
    Líderes mundiais se pronunciam sobre ataques violentos em Viena: 'Crime cínico e cruel'
    Tags:
    Estado Islâmico, Daesh, Sebastian Kurz, Suíça, Áustria, Viena, atentado
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar