02:18 26 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    141
    Nos siga no

    Após ataque mortal em Viena na noite de segunda-feira (2), depois de dois ataques ocorridos na França, o mundo volta a centrar sua atenção no terrorismo islâmico.

    O presidente francês, Emmanuel Macron, insistiu que a Europa não se entregará ao terror após um ataque mortal na capital austríaca, expressando apoio a um "país amigo" e ameaçando retaliação contra seus "inimigos" comuns.

    ​Nós, franceses, compartilhamos o choque e tristeza do povo austríaco atingido nesta noite por um ataque no coração de sua capital, Viena. Depois da França, é um país amigo que é atacado. Esta é a nossa Europa. Nossos inimigos devem saber com quem estão lidando. Não vamos desistir.

    Este comentário segue-se após troca de disparos entre criminosos armados e a polícia no centro de Viena na noite de segunda-feira (2), após um incidente perto da maior sinagoga da cidade. Embora os motivos dos agressores permaneçam desconhecidos, a polícia confirmou que "vários suspeitos armados com espingardas" dispararam em seis locais diferentes, matando quatro civis. De igual modo, um dos atiradores também foi baleado e morto pela polícia.

    A Europa está de luto. Um dos nossos foi duramente atingido pelo terrorismo islâmico. Pensamos nas vítimas, em suas famílias, nas vidas destruídas. A França está do lado da Áustria, pronta para dar seu apoio.

    A França tem vivenciado uma série de ataques terroristas chocantes nas últimas semanas, incluindo os esfaqueamentos em uma basílica católica em Nice na última quinta-feira (29), depois da horrível decapitação de um professor em um subúrbio de Paris em outubro.

    Ambos os feitos foram rotulados de "ataques terroristas islâmicos" pelas autoridades francesas, que responderam à violência aumentando a segurança em torno de escolas e locais de culto em todo o país, incluindo o envio de milhares de soldados para as ruas francesas.

    Atos 'covardes de violência e ódio'

    O Ministro do Interior austríaco, Karl Nehammer, já considerou o evento como ataque terrorista.

    A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, juntou-se a Macron na condenação do ataque "brutal", dizendo que a " Europa está do lado da Áustria em total solidariedade".

    Estou chocada e triste com o ataque brutal ocorrido em Viena. Meus pensamentos dirigem-se às famílias das vítimas e ao povo austríaco. A Europa é totalmente solidária com a Áustria. Somos mais fortes do que o ódio e o terror.

    Já o alto representante da UE para as relações exteriores, Josep Fontelles, apelidou os disparos de "covardes [atos] de violência e ódio".

    Estou chocado e comovido com as notícias terríveis sobre os ataques desta noite em Viena. Um ato covarde de violência e ódio. Meus pensametos vão para as vítimas, suas famílias e os cidadãos de #Vienna. Estamos do seu lado.

    Nesta terça-feira (3), a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, declarou que o povo alemão apoia seus "amigos austríacos em simpatia e solidariedade". Do mesmo modo, Merkel expressou suas condolências às famílias das vítimas.

    "O terrorismo islâmico é nosso inimigo comum. A luta contra esses assassinos e seus instigadores é nossa luta comum", afirmou.

    Palavras de apoio também chegaram do Leste Europeu, em um telegrama enviado pelo presidente russo, Vladimir Putin, ao presidente austríaco, Alexander Van der Bellen, nesta terça-feira (3). Putin condenou "veementemente o crime cínico e cruel que, mais uma vez, confirmou a natureza desumana do terrorismo".

    O presidente russo confirmou, de imediato, a prontidão da Rússia em intensificar a cooperação com a Áustria, e outros membros da comunidade global, na luta contra todas as formas e manifestações de terrorismo.

    Naturalmente, os acontecimentos em questão não passaram despercebidos do outro lado do oceano Atlântico, pois o presidente dos EUA, Donald Trump, também deu seu parecer.

    Em publicação no Twitter, o presidente Trump expressou solidariedade e suporte da nação americana à Europa.

    Nossas orações estão com o povo de Viena, após mais um horrível ato de terrorismo na Europa. Estes ataques malignos contra pessoas inocentes devem parar. Os EUA estão do lado da Áustria, França e de toda a Europa, na luta contra terroristas, incluindo terroristas islâmicos radicais.

    Em meio a uma pandemia global, a Europa volta a ter de centrar sua atenção na segurança nacional contra ameaças de uma natureza ainda mais complexa e obscura do que a do coronavírus mortal.

    Mais:

    Mídia revela detalhes do atirador morto durante ataque em Viena
    Ministro do Interior da Áustria diz que tiroteio em Viena deixou 'vários mortos'
    Padre ortodoxo é baleado em Lyon, na França; suspeito é preso (VÍDEO)
    Tags:
    união, solidariedade, terrorismo, Europa, França, Áustria, Viena
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar