08:52 28 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    Coronavírus e o mundo no início de novembro (39)
    0 10
    Nos siga no

    A chanceler alemã Angela Merkel disse nesta segunda-feira (2) que o país pode ter um mês de dezembro "tolerável" se as novas medidas de lockdown funcionarem.

    Merkel acrescentou que o sucesso das medidas implementadas a partir desta segunda-feira (2) depende da participação dos cidadãos.

    A chanceler disse que se as pessoas respeitarem as restrições nas próximas quatro semanas, "para conter a disseminação do vírus, teremos condições para um dezembro tolerável".

    Merkel deu as declarações durante uma coletiva de imprensa, citada pela agência Reuters.

    "Durante os meses de inverno teremos que limitar os contatos privados", disse ela na coletiva. "A luz no fim do túnel ainda está bem longe".

    Bares, danceterias, academias de ginástica, cafés, cinemas, teatros, salas de concerto, casas de aposta, museus, entre outros, ficarão fechados até o final de novembro. Restaurantes podem funcionar apenas com serviços de entrega, e hotéis estão autorizados a receber apenas hóspedes que estiveram viajando a trabalho.

    No sábado (31), a Alemanha teve o recorde de casos diários, com 19.059 novas infecções em 24 horas.

    No total, a Alemanha registra 552.060 casos do novo coronavírus e 10.542 mortes em decorrência da doença, segundo dados da plataforma da Universidade Johns Hopkins.

    Tema:
    Coronavírus e o mundo no início de novembro (39)

    Mais:

    Como profissionais do sexo enfrentam pandemia da COVID-19 em Paris? (VÍDEO)
    EUA estabelecem novo recorde com quase 100 mil casos de COVID-19 em 24h
    Mais 4 países europeus anunciam medidas para tentar conter COVID-19
    COVID-19: casos ultrapassam marca de 10 milhões na Europa
    Cientistas calculam taxa de letalidade real da COVID-19
    Tags:
    doença, mortes, pandemia, lockdown, novo coronavírus, Angela Merkel, Alemanha, COVID-19
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar