04:16 02 Dezembro 2020
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    4927
    Nos siga no

    Suécia está a seguir os passos do Reino Unido, que em julho também vetou o 5G da Huawei. EUA estão pressionando parceiros a excluírem os chineses na construção de redes 5G.

    A Suécia vai proibir equipamentos dos grupos chineses Huawei e ZTE na nova rede de telecomunicações 5G. A decisão ocorre poucas semanas antes dos leilões para decidir quem vai construir as redes no país, que estão programados para começar em 10 de novembro.

    A Autoridade Sueca de Correios e Telecomunicações (na sigla em inglês) afirmou em comunicado divulgado nesta terça-feira (20) que a proibição é uma consequência de uma nova legislação que entrou em vigor em janeiro.

    A lei exige que o PTS consultasse as Forças Armadas e o Serviço de Segurança suecos "para garantir que o uso de equipamento de rádio nessas faixas não cause danos para a segurança da Suécia", lê-se na nota.

    Dessa forma, a PTS argumenta que as novas instalações de redes 5G "não devem ser realizadas com produtos dos fornecedores Huawei ou ZTE". Todavia, se a infraestrutura existente para funções centrais for usada, "os produtos da Huawei e ZTE devem ser descontinuados [até] 1º de janeiro de 2025, no máximo", sublinha a PTS.

    A medida deve beneficiar a sueca Ericsson e a finlandesa Nokia. Keith Krach, subsecretário de Estado dos EUA para assuntos econômicos, havia dito anteriormente que as empresas escandinavas eram as únicas que os governos europeus deveriam escolher, relata a agência Reuters.

    Mais:

    Samsung busca conquistar fatia do mercado 5G enquanto Huawei luta sob sanções dos EUA
    Sob pressão no 5G, Brasil deve saber 'tirar proveito' da rivalidade EUA-China, diz pesquisador
    Pentágono vai financiar bases militares dos EUA com US$ 600 milhões para rede 5G
    5G: Bolsonaro vive 'ilusão' se pensa que China depende do Brasil, diz analista
    Tags:
    China, 5G, ZTE, Huawei, Suécia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar