14:11 29 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    2120
    Nos siga no

    Atenas e Nicósia esperam que a União Europeia exerça mais pressão sobre Ancara em relação à exploração de gás natural turca nas águas contestadas do leste do Mediterrâneo. O desejo foi expresso em cúpula em Bruxelas.

    "A Turquia permanece consistente com seu comportamento provocador e agressivo. Deste modo, a UE deve mostrar a mesma consistência na implementação das decisões que já tomou, para que o comportamento da Turquia tenha as consequências adequadas", sublinhou o primeiro-ministro grego, Kyriakos Mitsotakis, na quinta-feira (15), ao chegar à cúpula da UE.

    Na sexta-feira (16), antes das negociações, o primeiro-ministro esloveno, Janez Jansa, expressou esperança de que o bloco "seja capaz de apoiar forte e unanimemente Grécia e Chipre contra as mais novas provocações feitas pela Turquia".

    Em setembro, os líderes da UE alertaram a Turquia contra as "provocações" em águas disputadas por Grécia e Chipre, mas, no início desta semana, Ancara enviou seu navio de pesquisa sísmica, Oruc Reis, que havia sido recolhido no mês passado, de volta às águas do leste do Mediterrâneo. A medida foi criticada por vários membros da UE como um golpe nos esforços de negociação.

    Embarcação turca de prospecção sísmica Oruc Reis no mar Mediterâneo
    © AP Photo / Semih Ersozler
    Embarcação turca de prospecção sísmica Oruc Reis no mar Mediterâneo

    A liderança turca, por sua vez, criticou a UE por constantes referências a possíveis sanções contra Ancara, com os diplomatas turcos até mesmo sugerindo que as relações UE-Turquia foram "feitas reféns" por Grécia e Chipre. Adicionalmente, a União Europeia foi acusada de descumprir as promessas relativas a um acordo de união aduaneira, liberalização de vistos e reabertura de capítulos de adesão à UE.

    O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, foi ainda mais longe nesta semana, dizendo que a Turquia dará à Grécia a "resposta que ela merece" sobre a disputa no leste do Mediterrâneo.

    No entanto, a UE já havia deixado claro que o diálogo com a Turquia era possível, e o primeiro-ministro grego havia em setembro pedido uma chance à diplomacia, pois se recusa a "acreditar que a parceria entre vizinhos próximos seja impossível".

    Mais:

    Turquia lança míssil de sistema russo S-400 a partir de costa do mar Negro, segundo Reuters (VÍDEO)
    Centenas de militantes sírios ligados à Turquia são enviados a Nagorno-Karabakh, revela jornal
    Quais os interesses da Turquia no conflito de Nagorno-Karabakh?
    Tags:
    tensão geopolítica, conflito, Chipre, Grécia, União Europeia, Turquia, Mar Mediterrâneo
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar