08:21 30 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    4194
    Nos siga no

    Nesta quarta-feira (7) começou em Berlim o julgamento do cidadão russo Vadim Sokolov acusado de ter assassinado em agosto de 2019 o cidadão da Geórgia Zelimkhan Khangoshvili, que era acusado na Rússia de envolvimento em vários atos terroristas.

    Anteriormente o presidente russo, Vladimir Putin, declarou que as autoridades do país tinham discutido com a Alemanha a extradição de Khangoshvili.

    De acordo com as fontes da Sputnik nos serviços de segurança russos, Hangoshvili era membro da facção terrorista de Shamil Basaev, Khattab, Abu Hawsa e Abu Zeita, que executaram um dos ataques terroristas mais sangrentos da história da Rússia.

    Beslan e metrô de Moscou

    Em 2004, Khangoshvili esteve envolvido no planejamento e preparação dos ataques terroristas em Beslan e no metrô de Moscou.

    Zelimkhan Khangoshvili esteve envolvido na tomada de reféns em uma escola de Beslan, onde morreram 334 pessoas, incluindo 186 crianças – talvez o mais grave e horrível crime terrorista.

    Flores em memória das vítimas do ato terrorista em 1º de setembro de 2004 na escola Nº 1 da cidade de Beslan, república de Ossétia do Norte - Alânia, Rússia
    © Sputnik / Natalia Lvova
    Flores em memória das vítimas do ato terrorista em 1º de setembro de 2004 na escola Nº 1 da cidade de Beslan, república de Ossétia do Norte - Alânia, Rússia

    Ossétia do Sul

    Zelimkhan Khangoshvili, o cidadão da Geórgia morto na Alemanha, participou em 2006 da preparação de um grupo terrorista para o envio ao Cáucaso do Norte, um dos objetivos do qual era realizar provocações contra as forças de paz russas na Ossétia do Sul, disse à Sputnik uma fonte nos serviços de segurança russos familiarizada com o processo criminal.

    "Em 2006, perto do povoado de Duisi, na Geórgia, Hangoshvili realizava o treinamento de um grupo de terroristas envolvendo até 50 homens para seu posterior envio para o Cáucaso do Norte, bem como para execução de provocações contra as forças de paz russas enviadas para estabilizar a situação na Ossétia do Sul", ressaltou a fonte.

    Envio de terroristas para a Síria

    Em 2013, Hangoshvili organizou uma rede de envio de terroristas do desfiladeiro de Pankisi, na Geórgia, para a Síria através da Turquia, segundo a fonte.

    "Em 2013, morando no território da Geórgia, Khangoshvili exerceu o papel de coordenador regional na rede da organização terrorista internacional Emirado do Cáucaso [organização terrorista proibida na Rússia], manteve contatos com Doku Umarov e membros da organização no exterior", explicou fonte à Sputnik.

    Além disso, Khangoshvili recrutou jovens no desfiladeiro de Pankisi para ingressarem nas fileiras dos terroristas.

    Edifícios no subúrbio de Damasco destruídos no decorrer da guerra civil na Síria
    © Sputnik
    Edifícios no subúrbio de Damasco destruídos no decorrer da guerra civil na Síria

    "Foi ele quem organizou o canal ilegal de passagem de terroristas treinados e de armas através da Turquia para a República da Síria, onde já decorria a guerra civil", adicionou a fonte.

    História do terrorista Zelimkhan Khangoshvili

    De acordo com as fontes, Khangoshvili juntou-se aos combatentes terroristas no Cáucaso do Norte em 1999, com 20 anos de idade. O primeiro episódio de ataque do qual ele é acusado foi a incursão contra a povoação de Chervlennaya, na Chechênia. Durante o ataque foram mortos 20 soldados e 28 ficaram feridos.

    Em 2003 ele ficou sob o comando de Abu Zeita, emissário da Al-Qaeda (organização terrorista proibida na Rússia) no Cáucaso do Norte que esteve diretamente envolvido no ataque à escola em Beslan.

    Em 2005, Khangoshvili foi transferido para a Geórgia com passaporte falsificado. Lá, segundo as fontes, ele recebia e posteriormente distribuía dinheiro para apoiar os terroristas.

    De acordo com materiais das autoridades russas, entre 2009 e 2012 Khangoshvili organizou um campo de treinamento para terroristas no desfiladeiro de Pankisi, onde eles receberam formação em disciplinas de tiro, táticas, detonação de minas e sabotagem.

    Os alunos graduados desta "escola" eram enviados à Rússia e completavam as fações terroristas de Doku Umarov – este último foi responsável pela explosão no Nevsky Express em 2009, que causou 28 mortos e mais de 130 feridos, pelos atentados terroristas no metrô de Moscou em 2010, provocando 41 mortos e 88 feridos, e no aeroporto Domodedovo em 2011, causando 37 mortos e 170 feridos.

    Em 23 de agosto de 2019, Khangoshvili, de 40 anos de idade, foi morto a tiros no parque de Tiergarten em Berlim, o suspeito é o cidadão russo Vadim Sokolov. De acordo com os investigadores alemães, o suposto assassino se aproximou de Khangoshvili em uma bicicleta disparando contra ele. O homem morreu no local.

    Mais:

    Rússia declara 2 diplomatas alemães 'personae non gratae' após caso de assassinato em Berlim
    Geórgia contava com ajuda dos EUA na agressão contra Ossétia do Sul?
    Vítimas de massacre de Beslan são homenageadas na Rússia; tragédia completa 15 anos (VÍDEO)
    Tags:
    Vladimir Putin, Rússia, terroristas, Geórgia, Alemanha, assassinado
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar