18:55 27 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    248
    Nos siga no

    Embaixadores credenciados de quase 50 países na Polônia pediram respeito pelos direitos LGBT em carta aberta neste domingo (27). 

    Os direitos dos homossexuais se tornaram um ponto crítico na Polônia nos últimos anos. O partido Lei e Justiça, que governa o país, faz campanha contra o que chama de "ideologia LGBT", comparando a promoção dos direitos dos homossexuais a uma forma de comunismo.

    "Expressamos nosso apoio aos esforços para aumentar a conscientização pública sobre as questões que afetam a comunidade lésbica, gay, bissexual, transgênero e intersexual (LGBTI) e outras comunidades na Polônia que enfrentam desafios semelhantes", disse a carta assinada pelos diplomatas.

    Autoridades locais em várias regiões polonesas ligadas ao partido Lei e Justiça se declararam "zonas livres de LGBT" em um protesto contra o apoio aos direitos dos homossexuais do prefeito de Varsóvia, Rafal Trzaskowski - um dos principais membros do partido de oposição Plataforma Cívica.

    Milhares de manifestantes foram às ruas da capital para protestar contra a detenção de ativistas dos direitos LGBT, informa a agência de notícias AFP.

    Um deles foi detido por dois meses em prisão preventiva por supostamente vandalizar um caminhão que carregava slogans homofóbicos antes de ser liberado. Outros foram acusados ​​de profanar monumentos e ferir sentimentos religiosos depois que estátuas proeminentes de Varsóvia, incluindo uma de Jesus Cristo, foram cobertas por bandeiras LGBT.

    Mais:

    Escavação revela 276 esqueletos em cemitério do século XI na Polônia (FOTO)
    Arqueólogos escavam local de enterro de vítimas da Gestapo na Polônia (FOTOS)
    Mistério do Santo Graal pode ser revelado por cripta secreta descoberta na Polônia
    Lukashenko: protestos na Bielorrússia são gerenciados a partir da Polônia, Letônia e outros países
    Caça russo Su-27 é acionado após detectar bombardeiro B-52H dos EUA sobrevoando Polônia
    Tags:
    embaixadores, Direitos, LGBT, Polônia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar