03:25 20 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    5302
    Nos siga no

    O primeiro-ministro da Armênia, Nikol Pashinyan, ligou para o presidente russo Vladimir Putin para discutir as hostilidades militares em curso na região de Nagorno-Karabakh, disse o Kremlin neste domingo (27).

    "Por iniciativa do lado armênio, uma conversa telefônica ocorreu entre o presidente russo Vladimir Putin e o primeiro-ministro da Armênia, Nikol Pashinyan. Os líderes discutiram a grave escalada da situação na zona de conflito de Nagorno-Karabakh", diz o comunicado publicado no site do Kremlin.

    Putin foi citado como tendo expressado "sérias preocupações" sobre as novas hostilidades militares em grande escala na região de Nagorno-Karabakh. Mais cedo, o Ministério das Relações Exteriores da Rússia publicou um comunicado em que apelou por um cessar-fogo na região.

    "Foi observado que agora é importante fazer todos os esforços necessários para evitar uma nova escalada do confronto e, o mais importante, é necessário encerrar as hostilidades armadas", acrescentou o comunicado do Kremlin sobre a conversa entre os líderes.

    De acordo com outro comunicado de imprensa publicado pelo gabinete do primeiro-ministro armênio, Pashinyan enfatizou no diálogo com Putin, especificamente, a inadmissibilidade da intervenção de países terceiros no conflito.

    "Nikol Pashinyan expressou profunda preocupação com a ofensiva em grande escala lançada pelo Azerbaijão, que constitui um ato de agressão contra Nagorno-Karabakh. Ele ressaltou que uma nova escalada é inadmissível e criticou o envolvimento de forças externas nas hostilidades", diz o comunicado armênio.
    Presidente russo Vladimir Putin ao lado do primeiro-ministro armênio Nikol Pashinyan, antes da fotografia conjunta dos chefes das delegações dos Estados-membros da Comunidade Econômica Eurasiática (CEE), na Armênia
    © Sputnik / Sergey Guneev
    Presidente russo Vladimir Putin ao lado do primeiro-ministro armênio Nikol Pashinyan, antes da fotografia conjunta dos chefes das delegações dos Estados-membros da Comunidade Econômica Eurasiática (CEE), na Armênia

    No início do dia, Pashinyan apelou à comunidade internacional para evitar, em particular, o envolvimento da Turquia na atual escalada em Nagorno-Karabakh, dizendo que isso levará a uma deterioração irreversível da situação e fará com que o conflito se espalhe para fora da região. Mais cedo, a Turquia declarou apoio ao Azerbaijão na situação, enquanto a OTAN exigiu o fim dos conflitos.

    Frame de um vídeo do Ministério da Defesa da Armênia na região de Nagorno-Karabakh, entre a Armênia e o Azerbaijão, onde um conflito militar irrompeu deixando mortos e feridos, em dia 27 de setembro de 2020.
    © Sputnik / Ministério da Defesa da Armênia
    Frame de um vídeo do Ministério da Defesa da Armênia na região de Nagorno-Karabakh, entre a Armênia e o Azerbaijão, onde um conflito militar irrompeu deixando mortos e feridos, em dia 27 de setembro de 2020.

    Na manhã deste domingo (27), ocorreu um confronto armado em Nagorno-Karabakh, uma região autônoma de maioria armênia que proclamou a independência, em 1991, da então República Soviética do Azerbaijão. Em meio ao conflito desta manhã, o Azerbaijão lançou o que chamou de "contra-ofensiva", enquanto a autoproclamada República de Artsakh, também chamada de Nagorno-Karabakh, acusou as forças azeris de abrirem fogo contra civis e também contra a infraestrutura civil de sua capital, Stepanakert.

    Segundo o Ministério da Defesa da Armênia, o conflito deixou 16 militares mortos e mais de 100 feridos do lado armênio, além de pelo menos 15 tanques e dez blindados destruídos do lado azeri.

    Mais:

    Rússia apela para um cessar-fogo imediato em Nagorno-Karabakh
    Armênia declara lei marcial após escalada de conflito militar com Azerbaijão em Nagorno-Karabakh
    Turquia afirma apoio ao Azerbaijão no conflito com Armênia em Nagorno-Karabakh
    Ministério da Defesa da Armênia: tensão em Nagorno-Karabakh deixa 16 militares mortos e 100 feridos
    OTAN exige fim do conflito militar entre Armênia e Azerbaijão
    Tags:
    Rússia, Vladimir Putin, Nikol Pashinyan, Armênia, Nagorno-Karabakh, Kremlin
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar