17:36 27 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    180
    Nos siga no

    O Ministério da Defesa da Armênia refutou as informações de Baku sobre a conquista de seis assentamentos pelos militares azeris no decorrer da operação em Nagorno-Karabakh.

    "As informações difundidas pelo Ministério da Defesa do Azerbaijão sobre a alegada captura de seis assentamentos não correspondem à verdade. Trata-se de mais uma provocação informacional da máquina de propaganda azeri", escreveu em sua página no Facebook a porta-voz do Ministério da Defesa da Armênia, Shushan Stepanyan.

    Por sua vez, Baku afirmou que, em meio às tensões, Erevan vem difundindo provocações e dados incorretos.

    "Os armênios estão divulgando vídeos antigos que não refletem a realidade. Apelamos à população para que esteja mais atenta, não acredite em tal desinformação e acompanhe as informações oficiais", disse o assessor do presidente do Azerbaijão, Khikmet Gadzhiev.

    Escalada do conflito

    Anteriormente, neste domingo (27), o Ministério da Defesa do Azerbaijão afirmou que a Força Aérea da Armênia abriu fogo contra assentamentos ao longo da linha de contato na zona de Nagorno-Karabakh, provocando mortos e feridos.

    De acordo com o Ministério da Defesa da Armênia, Nagorno-Karabakh foi atingida "por ataques aéreos e de mísseis". Erevan afirmou que Baku "começou uma ofensiva" contra a zona disputada.

    A república não reconhecida de Nagorno-Karabakh divulgou que vários assentamentos foram atingidos por fogo de artilharia.

    A Armênia declarou a lei marcial e a mobilização geral. Baku descartou a necessidade de mobilização, afirmando que o Exército já está preparado para combate.

    Armênios se inscrevendo como voluntários depois que as autoridades declararam a lei marcial e a mobilização da população masculina no país na sequência do recomeço do conflito armado na zona de Nagorno-Karabakh, 27 de setembro de 2020
    © REUTERS . Melik Baghdasaryan
    Armênios se inscrevendo como voluntários depois que as autoridades declararam a lei marcial e a mobilização da população masculina no país na sequência do recomeço do conflito armado na zona de Nagorno-Karabakh, 27 de setembro de 2020
    O conflito em Nagorno-Karabakh começou em fevereiro de 1998, quando a região autônoma de Karabakh anunciou a saída da República Socialista Soviética do Azerbaijão. No decorrer do conflito militar dos anos 1992-1994, o Azerbaijão perdeu o controle sobre Nagorno-Karabakh e sete regiões adjacentes. Desde 1992, os dois lados têm realizado negociações sobre a regularização pacífica do conflito. O Azerbaijão insiste em manter seu território, enquanto a Armênia protege os interesses da república não reconhecida.

    Mais:

    China participará dos exercícios militares Cáucaso 2020 na Rússia
    Síria defende união de países afetados por sanções internacionais
    Tags:
    Azerbaijão, Armênia, Nagorno-Karabakh
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar