07:42 30 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    0 01
    Nos siga no

    O principal suspeito do ataque ocorrido nesta sexta-feira (25) contra dois jornalistas que trabalham na produtora Premières Lignes, confessou em depoimento que imaginava ter esfaqueado membros da equipe de Charlie Hebdo.

    O suspeito Ali H., nascido em 2002 em Islamabad, no Paquistão, confessou ser o autor das agressões durante uma audiência na seção antiterrorismo (SAT) da brigada criminal de Paris.

    O jovem declarou no interrogatório "não ter suportado" a republicação de imagens do profeta Maomé na capa de Charlie Hebdo no dia 2 de setembro. As informações foram publicadas pela RFI.

    Os dois jornalistas feridos na sexta-feira (25) trabalham no mesmo prédio onde ocorreu o massacre contra a redação do jornal em janeiro de 2015.

    Eles fumavam na calçada quando foram golpeados na cabeça, no rosto e no tórax. Após serem operados, não correm mais risco de morte.

    O jornal Charlie Hebdo republicou no dia 2 de setembro as imagens satíricas contra o profeta Maomé para marcar o início do julgamento de 14 réus acusados de cumplicidade nos atentados de janeiro de 2015.

    O massacre também foi motivado pela publicação das charges e deixou 12 pessoas mortas, incluindo oito cartunistas de Charlie Hebdo.

    Na noite de sexta-feira (25), o ministro francês do Interior, Gérald Darmanin, havia antecipado que o ataque tinha todos os indícios de um atentado terrorista perpetrado por radicais islâmicos.

    Neste sábado (26), a prisão temporária do suspeito foi prolongada por 24 horas. Outros seis homens são interrogados suspeitos de terem conexão com o ataque.

    Mais:

    França recorda o aterrorizante atentado de Charlie Hebdo que ocorreu há 2 anos
    Esfaqueador é detido após deixar 4 pessoas feridas perto da antiga sede de Charlie Hebdo, em Paris
    'Ato claro de terrorismo islâmico', diz ministro francês após novo ataque ligado ao Charlie Hebdo
    Tags:
    facadas, facada, esfaqueamento, ato de terror, terrorista, terrorismo, ataque, Charlie Hebdo, Paris, França
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar