22:21 19 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    1120
    Nos siga no

    A Suprema Corte da Espanha decidiu nesta quarta-feira (23) que os entregadores do aplicativo Glovo, com sede em Barcelona, ​​são funcionários e não freelancers. O caso pode abrir caminho para mais direitos trabalhistas.

    A decisão da mais alta instância do Judiciário do país europeu foi tomada após dois casos em cortes regionais, um envolvendo o Glovo e outro seu rival Deliveroo. 

    Para a Suprema Corte da Espanha, os entregadores "cumprem suas funções dentro da organização profissional do empregador", destaca a agência de notícias Reuters. 

    O aplicativo Glovo argumentou que é apenas um intermediário entre os restaurantes e os entregadores, que trabalhavam por conta própria.

    Nos últimos anos, os trabalhadores contratados para entregar mercadorias por meio de aplicativos como Glovo vêm exigindo reconhecimento como assalariados e pleiteando os direitos correspondentes, como licença médica e férias remuneradas.

    Representantes do aplicativo Glovo afirmaram em comunicado que respeitam a decisão da Suprema Corte da Espanha, mas esperam que o governo e a União Europeia estabeleçam uma estrutura regulatória.

    "Glovo acredita firmemente que este regulamento deve ser promovido com base no diálogo entre todos os atores envolvidos", diz a empresa no comunicado.

    Mais:

    Tiktok entrará com ação legal contra Trump por veto ao aplicativo nos EUA
    União Europeia aplica sanções contra pessoas físicas e jurídicas da Rússia, China e Coreia do Norte
    Índia proíbe mais 118 aplicativos chineses de empresas como Tencent e Alibaba
    Ucrânia determina que Apple retire aplicativos da Rossiya Segodnya de loja, informa empresa
    Justiça dos EUA bloqueia decisão de Trump de impedir download de aplicativo chinês
    Tags:
    trabalhador, economia, Judiciário, aplicativo, Suprema Corte da Espanha, Espanha
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar