00:45 01 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    8651
    Nos siga no

    O projeto que está sendo construído através do mar Báltico deverá fornecer gás russo à Alemanha e outros países europeus, mas EUA tentarão tudo para impedir que ele avance.

    O gasoduto Nord Stream 2 entre a Rússia e a Alemanha deverá ser completado apesar das ameaças e imposições de sanções por parte dos EUA, porque o objetivo do projeto não é "irritar alguém", afirmou Karin Kneissl, ex-ministra das Relações Exteriores da Áustria, em entrevista à RT.

    "Como eu disse em várias ocasiões, inclusive aos meus colegas quando ainda era ministra, ninguém constrói um duto só para irritar alguém. Um duto é construído porque há demanda", disse Kneissl.

    A antiga alta responsável austríaca citou Angela Merkel, chefe de Estado da Alemanha, que pediu que o gasoduto não fosse politizado, comentando que tem toda a razão, independentemente de assuntos como o alegado envenenamento de Aleksei Navalny ou a oposição norte-americana ao Nord Stream 2.

    "Meu pressentimento [...] é que o duto será concluído. Mas a oposição do governo dos EUA será muito forte para não o encher, para não entrar em funcionamento", referiu.

    O gasoduto, que está sendo construído através do mar Báltico, deve aumentar o fornecimento de gás natural russo à Alemanha (e ao mercado europeu em geral) em cerca de 55 bilhões de metros cúbicos por ano.

    Companhias envolvidas na sua criação têm sido ameaçadas por Washington. Como resultado, a Allseas, uma empresa suíça, abandonou o projeto, paralisando a construção durante meses.

    Assim, a Rússia teve que destacar seus próprios navios para colocar os últimos quilômetros da tubulação, mas os EUA também criticaram esta ação.

    Mais:

    'Eles têm que pagar': Trump volta a atacar a Alemanha por gastos militares e gás russo
    EUA aumentam pressão sobre empreiteiras para barrar o Nord Stream 2, diz mídia
    Caos nos EUA pode estar fazendo com que Europa resolva questão do Nord Stream 2
    Tags:
    Angela Merkel, Karin Kneissl, mar Báltico, Alemanha, Rússia, EUA, Nord Stream 2
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar