13:32 27 Setembro 2020
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    4136
    Nos siga no

    Em meio à disputa envolvendo perfuração de plataformas marítimas de petróleo, ministro turco afirmou que o país está aberto ao diálogo, mas não com as pré-condições da Grécia.

    O ministro das Relações Exteriores da Turquia, Mevlut Cavusoglu, discutiu as atuais tensões na terça-feira (25), em Ancara, durante coletiva de imprensa com o seu homólogo alemão, Heiko Maas. Cavusoglu reiterou que a Turquia não hesitará se um eventual conflito ocorrer com a Grécia.

    "Faremos o que for necessário, sem hesitação", garantiu Cavusoglu.

    Em Ancara, Maas representou a posição da Alemanha e, em grande parte, da União Europeia (UE), dizendo que a atual crise diplomática coloca as relações da Turquia com a UE perante encruzilhada.

    Antes de sua visita às conversações, o ministro alemão afirmou que "a situação atual no leste do Mediterrâneo é equivalente a brincar com o fogo". "Cada pequena faísca pode levar à catástrofe", acrescentou.

    Maas disse ainda que são necessários passos visíveis para diminuir a escalada, tanto a Alemanha como a Turquia devem abrir-se ao diálogo. Segundo observou ministro alemão, por mais complicado que seja, ele acredita que o compromisso está ao alcance.

    A Grécia e a Turquia são países-membros da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN). Em julho, as duas nações entraram em confronto em meio à descoberta de depósitos de petróleo e gás em uma região marítima disputada ao largo da costa da ilha de Creta.

    As tensões aumentaram quando Ancara enviou unilateralmente um navio para o potencial local de perfuração.

    Mais:

    Turquia diz que exercício militar da Grécia prejudica a segurança da região
    'Grécia semeia o caos no Mediterrâneo': Erdogan ataca aliado da OTAN em defesa da Turquia
    Em briga por petróleo no Mediterrâneo, Grécia descarta 'pressão militar' da Turquia
    Tags:
    Turquia, exploração de petróleo, exploração de gás, mar Mediterrâneo, Alemanha, Grécia, União Europeia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar