23:43 30 Setembro 2020
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    3118
    Nos siga no

    O Conselho de Coordenação da oposição bielorrusa fez um apelo às autoridades para iniciareum diálogo o mais rápido possível para encontrar uma solução para a crise no país. A declaração é de Olga Kovalkova, representante da opositora, Svetlana Tikhanovskaya.

    "O Conselho de Coordenação considera que a única forma de superar a crise política é o início imediato das negociações e a elaboração de mecanismos para restaurar a legitimidade e realizar novas eleições", disse ela ao ler a resolução aprovada em reunião da entidade.

    A porta-voz assegurou que o Conselho de Coordenação procura normalizar a situação do país no quadro constitucional.

    "O Conselho de Coordenação não tem como objetivo mudar a ordem constitucional e a política externa", afirmou.

    Na resolução, o órgão denuncia "numerosas violações das normas eleitorais" durante as eleições realizadas em 9 de agosto e a prisão de mais de 7.000 pessoas por motivos políticos.

    "A população perdeu a confiança no atual governo e pede sua renúncia", diz o texto do documento, afirmando que "vários países estrangeiros não reconheceram os resultados das eleições presidenciais na Bielorrússia".

    Pessoas se reúnem para prestar homenagem ao manifestante Aleksandr Taraykovsky, que foi morto durante comícios recentes contra os resultados das eleições presidenciais, no local de sua morte em Minsk, Bielorrússia, 15 de agosto de 2020
    © REUTERS / Vasily Fedosenko
    Protestos na Bielorússia

    A Bielorrússia tem sido palco de uma onda protestos desde 9 de agosto após a realização das eleições presidenciais, nas quais o presidente Aleksandr Lukashenko venceu com 80,1% dos votos, seguido por Tikhanovskaya com 10,12%.

    A oposição contestou o resultado e tomou as ruas em manifestações massivas. As forças de segurança usaram gás lacrimogêneo, balas de borracha, canhões de água e granadas de efeito moral para reprimir os protestos.

    De acordo com o Ministério do Interior, centenas de pessoas ficaram feridas, incluindo mais de 150 policiais, e mais de 6.700 pessoas foram presas. Três pessoas morreram.

    Mais:

    Presidente bielorrusso sobre OTAN: 'É imperativo não nos coibirmos de posicionar' unidades militares
    União Europeia não reconhece resultados das eleições presidenciais na Bielorrússia
    Bielorrússia ordena reforço de tropas em flanco ocidental
    Tags:
    oposição, Crise, protestos, governo, Bielorrússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar