06:18 23 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    7230
    Nos siga no

    O presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, instou os países da União Europeia (UE) a não interferirem nos assuntos internos da Bielorrússia.

    A afirmação foi realizada por meio do convite oficial enviado aos líderes da UE para a realização da cúpula do órgão no dia 19 de agosto.

    "O povo da Bielorrússia tem o direito de determinar seu próprio futuro. Para permitir isso, a violência deve parar e um diálogo pacífico e inclusivo deve ser lançado. A liderança da Bielorrússia deve refletir a vontade do povo. Não deve haver interferência externa", disse Michel, por meio do convite.

    Anteriormente, o presidente do órgão informou a convocação do Conselho Europeu para discutir a questão da Bielorrússia na quarta-feira (19). A reunião será realizada por meio de videoconferência.

    Apoiadores da oposição da Bielorrússia levantam bandeiras em Kiev, na Ucrânia
    © Foto / Efrem Lukatsky
    Apoiadores da oposição da Bielorrússia levantam bandeiras em Kiev, na Ucrânia

    Desde o dia 9 de agosto, a Bielorrússia tem tido protestos contra os resultados da eleição presidencial realizada no país. De acordo com os resultados oficiais, o atual presidente Aleksandr Lukashenko foi reeleito com mais de 80% dos votos. Essa é a sexta eleição consecutiva vencida pelo presidente bielorrusso.

    A oposição não aceitou os resultados e foi às ruas do país protestar e exigir novas eleições. Os protestos acabaram em confrontos com a polícia, que deteve mais de 6,7 mil pessoas. Pelo menos dois manifestantes morreram desde o início dos protestos.

    Em Varsóvia, na Polônia, centenas de manifestantes protestam usando bandeiras e símbolos da oposição bielorrussa, a quem prestam solidariedade, em 10 de agosto de 2020.
    © AP Photo / Czarek Sokolowski
    Em Varsóvia, na Polônia, centenas de manifestantes protestam usando bandeiras e símbolos da oposição bielorrussa, a quem prestam solidariedade, em 10 de agosto de 2020.

    Manifestações em solidariedade à oposição bielorrussa vêm sendo realizadas em diversos países europeus, como Polônia, Ucrânia e Reino Unido. Alguns países alertaram para a possibilidade de sanções caso a violência continue em meio aos protestos.

    Mais:

    Alemanha diz que eleições da Bielorrússia devem ser verificadas e sanções são possíveis
    Oposição da Bielorrússia planeja entrar com ação judicial contra atos 'ilegais da polícia'
    Trump chama a situação na Bielorrússia de 'terrível' e diz que os EUA monitoram o país 'de perto'
    Lukashenko: eleição presidencial será feita após aprovação de nova constituição
    Tags:
    Charles Michel, União Europeia, Conselho Europeu, Bielorrússia, Aleksandr Lukashenko, Minsk, Ucrânia, Polônia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar