05:27 31 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    4481
    Nos siga no

    Enquanto oposicionistas protestam pelas ruas do país, presidente bielorrusso Aleksandr Lukashenko falou sobre possibilidade de nova eleição presidencial.

    Em rede de televisão nacional, Lukashenko declarou:

    "Sob pressão, o presidente não deve tomar uma decisão [...]", disse Lukashenko. "O presidente deve encontrar um compromisso, o qual satisfará a todos", respondeu um operário durante transmissão do canal de TV Belarus 1.

    Na ocasião, Lukashenko se dirigia a trabalhadores da fábrica de veículos pesados e fornecedora de veículos militares MZKT.

    "Vai ser assim, homens: nós precisamos aprovar uma nova constituição, o que vocês queriam. Até os que eram apoiadores da alternativa não foram contra. Vocês devem a aprovar em referendo, visto que a constituição anterior foi aprovada por referendo, e segundo a nova constituição, se vocês quiserem, faremos eleições: do parlamento, do presidente e dos órgãos de poder local", afirmou.

    Ao falar com os trabalhadores fabris, Lukashenko também comentou os apelos feitos aos trabalhadores para realizarem greves, enfrentamentos entre manifestantes e forças policiais durante protestos, além de afirmar que sua opinião sobre a situação no país coincide com a opinião de seu homólogo russo, Vladimir Putin.

    Por sua vez, os resultados da eleição presidencial realizada no domingo (9) mostraram, segundo dados oficiais, que Lukashenko acumulou 80,1% dos votos.

    Contudo, os opositores, insatisfeitos com o resultado, marcam atos de protesto contra o presidente e pedem mudança de poder no país.

    Mais:

    Simpatizantes da oposição bielorrussa se concentram na capital da Bielorrússia
    Após falar com Putin, Lukashenko diz que Rússia ajudará na segurança da Bielorrússia, se necessário
    Alemanha diz que eleições da Bielorrússia devem ser verificadas e sanções são possíveis
    Tags:
    constituição, protesto, Minsk, Bielorrússia, Aleksandr Lukashenko
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar