15:08 27 Setembro 2020
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    5210
    Nos siga no

    A oposição da Bielorrússia pretende entrar com uma ação judicial para investigar a repressão das forças de segurança contra protestos no país após as eleições presidenciais do dia 9 de agosto.

    O anúncio foi feito neste domingo (16) por uma das líderes da oposição, Maria Kolesnikova, uma aliada da candidata presidencial Svetlana Tikhanovskaya, que contesta o resultado do pleito, vencido pelo atual presidente Aleksandr Lukashenko. 

    "Agora nós exigimos o fim da violência. Nenhum responsável pela violência foi punido, nenhum caso foi aberto, as pessoas não foram libertadas de custódia. Não é assim que deve ser, isso não está certo", disse Kolesnikova. 

    Além disso, ela afirmou que nesta segunda-feira (17) serão formalizados pedidos de investigação contra a repressão aos protestos. A opositora acusou as forças policiais de "tortura". 

    "Amanhã vamos preencher pedidos de investigação criminal sobre as mortes de pessoas, sobre cada incidente de tortura e ações ilegais da polícia", afirmou. 

    Centenas de pessoas foram presas e dois homens morreram durante uma semana de protestos na Bielorrússia. O Ministério do Interior, por sua vez, diz que mais de 120 policiais foram feridos nas manifestações.

    Domingo de manifestações contra e a favor do governo

    Segundo o governo, um homem que morreu na capital Minsk no dia 10 de agosto estava segurando um explosivo que detonou em sua mão. Imagens do ocorrido, no entanto, não parecem mostrar que a vítima portava um explosivo. 

    O ministro do Interior afirmou então que o homem pode ter sido morto por uma "arma não letal". 

    Neste domingo (16), ocorreram mais protestos contra o governo em Minsk. A polícia disse que nenhuma pessoa foi detida ao longo do dia. Em Praga, capital da República Tcheca, houve um ato em solidariedade à oposição bielorrussa. 

    Por outro lado, ocorreu uma manifestação a favor do governo na Praça da Independência, que contou com a presença de Lukashenko e outras autoridades. 

    Mais:

    Eleições na Bielorrússia: candidata da oposição pede que governo abdique da violência
    'Não daremos o país a ninguém', diz presidente da Bielorrússia em meio a protestos no país
    Após falar com Putin, Lukashenko diz que Rússia ajudará na segurança da Bielorrússia, se necessário
    Tags:
    protestos, manifestação, eleições, oposição, Aleksandr Lukashenko, Minsk, Belarus, Bielorrússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar