01:01 19 Setembro 2020
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    260
    Nos siga no

    O primeiro-ministro britânico Boris Johnson alertou nesta segunda-feira (10) que o Reino Unido seria mais fraco se a união de seus quatro países fosse rompida.

    Desentendimentos entre as nações constituintes do Reino Unido - Escócia, País de Gales, Irlanda do Norte e Inglaterra - sobre a gestão da pandemia do novo coronavírus prejudicaram as relações já bastante tensas pelo Brexit.

    Isso é particularmente verdadeiro na Escócia, que votou contra deixar a União Europeia (UE) e onde as pesquisas de opinião mostram que o apoio à independência supera por pouco o apoio à união de 300 anos com a Inglaterra.

    "A união do Reino Unido é, para mim, a maior associação política que o mundo já viu", declarou Johnson à televisão, após ser questionado sobre o que a união significava para ele.

    "Seria uma pena perder o poder, a magia dessa união", prosseguiu.

    A primeira-ministra de Escócia Nicola Sturgeon
    A primeira-ministra de Escócia Nicola Sturgeon

    Um total de 55% dos escoceses votou contra a independência em um referendo em 2014, enquanto o resto votou a favor e o Partido Nacional Escocês, que governa a nação semi-autônoma, quer outra votação. Embora os eleitores escoceses tenham apoiado a permanência na UE, o Reino Unido como um todo votou pela saída do bloco.

    O Partido Conservador de Johnson, que governa todo o Reino Unido e decide as políticas em áreas que não foram transferidas para a Escócia, é um forte apoiador da união e resiste a outro referendo.

    No entanto, Johnson e outros ministros de alto escalão visitaram a Escócia nas últimas semanas, falando longamente sobre a força e os benefícios do relacionamento.

    Mais:

    Rússia reage a relatório que acusa Moscou de 'interferência' nos processos internos do Reino Unido
    Reino Unido espera que EUA paguem parte dos custos de nova ogiva para mísseis Trident
    General do Reino Unido diz que Exército Britânico agora é 'sombra' do que era antes
    Tags:
    COVID-19, diplomacia, Brexit, União Europeia, Europa, Boris Johnson, separação, referendo, Escócia, Inglaterra, Reino Unido
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar