05:50 30 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    Coronavírus no mundo no início de agosto (51)
    121
    Nos siga no

    Os jovens devem restringir os seus instintos para ajudar a prevenir novos surtos da COVID-19, disseram autoridades da Organização Mundial da Saúde (OMS) nesta quarta-feira (5).

    Cansados ​​de bloqueios e ansiosos para aproveitar o verão do Hemisfério Norte, os jovens de alguns países vêm contribuindo para o ressurgimento de focos da pandemia, reunindo-se novamente para festas, churrascos e feriados.

    Mesmo em Genebra, na Suíça, onde o corpo de saúde da ONU está sediado, cabarés e clubes foram fechados na semana passada após evidências de que quase metade dos novos casos vinha de lá.

    "As pessoas mais jovens também precisam aceitar que têm uma responsabilidade", afirmou o chefe de emergências da OMS e pai de três filhos, Mike Ryan, em uma discussão on-line. "Faça a si mesmo a pergunta: eu realmente preciso ir a essa festa?".

    É menos provável que os jovens sofram uma forma grave da doença respiratória do que seus pais ou avós, mas a proporção de infectados com idades entre 15 e 24 anos aumentou três vezes em cerca de cinco meses, segundo dados da OMS.

    Bares estão abertos para turistas na praia de El Arenal, em Mallorca, na Espanha, em meio à pandemia da COVID-19
    © REUTERS / Enrique Calvo
    Bares estão abertos para turistas na praia de El Arenal, em Mallorca, na Espanha, em meio à pandemia da COVID-19

    Ryan disse que os jovens costumam ser reticentes em fornecer detalhes ou divulgar nomes de amigos para contatar portadores. "É difícil, mas é o necessário para interromper o vírus", explicou ele.

    Os jornais suíços informaram que em uma boate em Zurique da qual surgiram casos recentemente, os foliões deram nomes falsos, incluindo "Pato Donald".

    Além de reduzir os riscos para outros, a epidemiologista da OMS Maria Van Kerkhove declarou que os jovens devem ter cuidado, pois mesmo uma versão leve da doença pode ter consequências a longo prazo.

    Tema:
    Coronavírus no mundo no início de agosto (51)

    Mais:

    Com medo de 2ª onda, OMS admite: manter fronteiras fechadas por muito tempo é 'quase impossível'
    Novo coronavírus 'será uma grande onda', diz OMS
    Efeitos da COVID-19 serão sentidos nas próximas décadas, adverte diretor da OMS
    Tags:
    transmissão, pandemia, jovens, novo coronavírus, COVID-19, saúde, OMS, Suíça, Europa
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar