08:49 30 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    5131
    Nos siga no

    O presidente estadunidense Donald Trump está retirando as suas tropas da Alemanha para 'punir' Berlim por comprar gás russo e por não contribuir o suficiente para a OTAN, mas uma nova pesquisa mostra que os alemães estão realmente felizes por ele estar fazendo isso.

    Cerca de 47% dos participantes da pesquisa realizada pela organização YouGov, em nome da agência de notícias DPA, disseram que eram a favor da decisão do Pentágono de retirar quase 12 mil soldados americanos da Alemanha.

    Além disso, um em cada quatro alemães ouvidos ​​insistiu que a presença militar dos EUA no país deveria ser reduzida a zero.

    Apenas 28% pensaram que o contingente de 36 mil homens deve permanecer como está, enquanto 4% disseram que queriam mais soldados americanos. Os demais se recusaram a responder.

    Os pontos de vista do público alemão sobre o assunto estão em nítido contraste com os dos políticos do país. Cinco em cada seis grupos parlamentares do Bundestag se opõem à retirada, com apenas o partido A Esquerda dizendo que os americanos devem sair completamente.

    Presidente dos EUA, Donald Trump, e a chanceler alemã Angela Merkel, durante cerimônia em Paris, França, 11 de novembro de 2018
    © AP Photo / Francois Mori
    Presidente dos EUA, Donald Trump, e a chanceler alemã Angela Merkel, durante cerimônia em Paris, França, 11 de novembro de 2018
    "Em vez de fortalecer a OTAN, isso enfraquecerá a aliança", afirmou Norbert Rottgen, que sucede a chanceler Angela Merkel no comando da União Democrata-Cristã (CDU), sobre a decisão dos EUA. O líder da União Social Cristã (CSU), Markus Soder, também alertou que a retirada "coloca um fardo no relacionamento germano-americano".

    Na semana passada, o secretário de Defesa dos EUA, Mark Esper, anunciou que o Pentágono retiraria quase 12 mil soldados da Alemanha, um aumento significativo em relação ao número inicialmente planejado de 9.500.

    Trump, cujas relações com a Alemanha e Merkel têm sido difíceis desde o início de sua presidência, apontou recentemente que os EUA não podem permanecer comprometidos em proteger a Alemanha da Rússia quando Berlim "paga à Rússia bilhões de dólares por ano em energia" e "é muito delinquente em sua taxa de 2% para a OTAN".

    Mais:

    Merkel: EUA não vão mais defender a Europa de maneira automática
    Merkel insta Europa a se preparar para mundo sem liderança dos EUA
    Merkel: UE deve reconsiderar política de defesa, pois assistência dos EUA não é mais auto-evidente
    Tags:
    Angela Merkel, Donald Trump, Mark Esper, pesquisa, segurança, defesa, OTAN, Polônia, tropas, Rússia, Estados Unidos, Alemanha
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar