07:33 24 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    2131
    Nos siga no

    A Embaixada da Rússia em Minsk pediu informações às autoridades bielorrussas sobre a alegada detenção de dezenas de cidadãos russos na Bielorrússia nesta quarta-feira (29).

    Mais cedo, a mídia local noticiou que 33 russos teriam sido presos na Bielorrússia hoje (29) por suspeita de pertencerem a uma empresa militar privada que teria o objetivo de realizar ações não autorizadas no país. Segundo representantes das forças de segurança bielorrussas, 32 dos detidos se encontravam nos arredores de Minsk, enquanto outro estava no sul do país quando foi detido.

    De acordo com o portal BelTa, agências de segurança da Bielorrússia teriam detectado a chegada de aproximadamente 200 "militantes" ao país nos últimos dias para desestabilizar a situação durante o período eleitoral. 

    Segundo a representação diplomática da Rússia no país vizinho, não houve, inicialmente, notificação a Moscou sobre a suposta detenção de cidadãos russos. Mas, após a divulgação do caso pela imprensa, foi feito um apelo por parte da embaixada russa e a notificação foi formalmente recebida. 

    ​A embaixada recebeu do Departamento Consular Principal do Ministério das Relações Exteriores da República da Bielorrússia uma notificação oficial sobre a detenção de 32 cidadãos russos na república.

    A Bielorrússia se prepara para realizar, no próximo dia 9, uma eleição que definirá quem governará o país pelos próximos cinco anos. O atual chefe de Estado, Alexandr Lukashenko, irá disputar o seu sexto mandato. Ele venceu todos os anteriores, sendo o único ocupante do cargo desde a sua criação, em 1994.

    Mais:

    Bielorrússia tem 2º condenado à pena de morte em 2019
    Melhores imagens do que sobrou da Bielorrússia 'nuclear'
    Donetsk rejeita oferta para receber forças de paz bielorrussas
    EUA propõem que Bielorrússia compre seu petróleo ao invés do russo
    EUA pressionam por mais acesso ao mercado bielorrusso
    Tags:
    Aleksandr Lukashenko, eleição, mercenários, empresa militar privada, russos, Moscou, Minsk, Bielorrússia, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar