17:35 01 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    Pandemia da COVID-19 no mundo no fim de junho (34)
    1191
    Nos siga no

    Governos da União Europeia concordaram com uma "lista segura" inicial de 14 países com os quais voos não essenciais serão permitidos a partir de 1º de julho. Brasil, EUA e Rússia ficaram de fora da lista.

    "Hoje [29], o Conselho Europeu aceitou a recomendação de remoção gradual das limitações de entradas não essenciais na União Europeia. As limitações de viagem devem ser removidas para os países listados na recomendação", divulgou o órgão europeu.

    "A recomendação do Conselho Europeu não é um instrumento de obrigação jurídica. Autoridades dos países-membros permanecem sendo responsáveis pela implementação do conteúdo da recomendação. Eles [países europeus] podem, uma vez que haja total transparência, apenas remover gradualmente limitações de entrada em relação aos países listados", salienta o anúncio.

    Os países "seguros" são Argélia, Austrália, Canadá, Geórgia, Japão, Montenegro, Marrocos, Nova Zelândia, Ruanda, Sérvia, Coreia do Sul, Tailândia, Tunísia e Uruguai, afirmou o Conselho Europeu nesta terça-feira (30).

    A China será incluída se houver reciprocidade, ou seja, se permitir a entrada de viajantes da União Europeia em território chinês.

    Nesta primeira fase, grandes países como Rússia, EUA, Brasil e Índia, que apresentam índices de infecção pelo coronavírus superiores aos países do bloco europeu, ficarão de fora da lista, ocasionando um forte impacto para o setor de turismo europeu.

    "Esta lista de países terceiros deve ser revista a cada duas semanas, e pode ser atualizada pelo Conselho Europeu, dependendo das circunstâncias, após consulta com a Comissão Europeia e instituições e serviços relevantes da União Europeia", segundo comunicado.

    "Limitações de viagem podem ser completa ou parcialmente retiradas, assim como reintroduzidas, para países terceiros já adicionados à lista em conformidade com as alterações nas condições do quadro epidemiológico", acrescentou a União Europeia.

    Tema:
    Pandemia da COVID-19 no mundo no fim de junho (34)

    Mais:

    Coronavírus já matou mais de 58 mil pessoas no Brasil, diz Ministério da Saúde
    Viajar pelo Brasil é preciso: como reerguer o setor do turismo no pós-pandemia?
    Encontrados na Europa possíveis restos do coronavírus em amostra de esgoto de março de 2019
    Tags:
    Rússia, EUA, Brasil, fronteira, COVID-19, novo coronavírus, União Europeia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar