18:43 10 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    2252
    Nos siga no

    Dados de radar não confirmaram a presença de caça ou míssil no momento da queda do Boeing malaio do voo MH17 no leste da Ucrânia em 2014, segundo o procurador holandês Thijs Berger.

    Ontem (8) no complexo judicial de Schiphol aconteceu mais uma audiência sobre a queda do voo MH17 da Malaysia Airlines. Na audiência, o procurador holandês declarou que a investigação dos dados de radar tinha terminado.

    Logo em seguida, Berger afirmou que os dados de radares civis e militares da Ucrânia deram resultados limitados sobre o incidente e que foram também tidos em consideração os dados de radar russos.

    Contudo, segundo Berger, levando em consideração a opinião de especialistas em defesa, a ausência de dados de radar quanto à presença de um míssil Buk (que teria derrubado a aeronave), pode ter várias explicações.

    "O fato de os radares não terem detectado não significa que não havia lá um míssil. A Almaz-Antei [empresa russa do setor de defesa] e o Ministério da Defesa da Rússia, ao contrário, consideram que a ausência de detecção prova que não havia míssil", acrescentou.

    Investigações

    O julgamento sobre a queda do voo MH17 da Malaysia Airlines teve início nos Países Baixos em 9 de março deste ano para tentar esclarecer as causas e encontrar os responsáveis.

    A investigação internacional conjunta, que não aceitou a participação da Rússia, é encabeçada pela Procuradoria Geral dos Países Baixos.

    De acordo com a conclusão prévia das investigações, o Boeing 777, que voava de Amsterdã, Países Baixos, com destino a Kuala Lumpur, Indonésia, teria sido derrubado em 17 de julho de 2014 por um míssil antiaéreo Buk, supostamente pertencente às Forças Armadas russas.

    Porém, a Rússia já apresentou dados de radar e documentos que provam que o míssil em questão pertencia à Ucrânia e estava sob controle de Kiev. Por sua vez, tal informação não foi considerada pelos investigadores.

    Mais:

    Avião militar de coalizão liderada pelos EUA sofre acidente no Iraque e deixa 4 feridos
    Avião cai no mar em frente a turistas no Reino Unido (FOTOS, VÍDEO)
    Qual é o risco de contrair COVID-19 em avião?
    Tags:
    acidente aéreo, Rússia, Malaysia Airlines, MH17
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar