07:57 30 Setembro 2020
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    2511
    Nos siga no

    Recentemente o embaixador dos EUA na Alemanha tentou persuadir Berlim para continuar a manter armas nucleares norte-americanas, no entanto, a sua colega em Varsóvia sugeriu que a Polônia estaria disposta a aceitá-los.

    "Se a Alemanha quer reduzir a capacidade nuclear e enfraquecer a OTAN, talvez a Polônia – que contribui de forma justa, entende os riscos e está no flanco oriental da OTAN – poderia abrigar [as armas nucleares]", escreveu no Twitter a embaixadora dos EUA na Polônia Georgette Mosbacher.

    Este comentário surge na sequência da declaração do embaixador dos EUA na Alemanha, Rick Grenell, que também ocupa cargo de diretor interino da Inteligência Nacional, que apelou em comunicado às autoridades de Berlim para não enfraquecerem a OTAN buscando a retirada das armas nucleares dos EUA do seu território.

    "O objetivo da cota nuclear da OTAN é manter os Estados membros não nucleares envolvidos no planejamento da política de dissuasão da OTAN. A participação da Alemanha na cota nuclear assegura que sua voz é importante", escreveu Grenell. "Irá a Alemanha assumir esta responsabilidade, ou ficará de braços cruzados simplesmente usufruindo dos benefícios econômicos da segurança proporcionada pelos seus outros aliados?"

    A política de compartilhamento nuclear da OTAN considera que os países da Europa que não possuem armas atômicas recebam e mantenham em seus territórios os meios para usá-las. No caso da Alemanha, existiriam atualmente 20 bombardeiros B61 no oeste do país.

    Mais:

    Irã: acordo nuclear 'morrerá para sempre' se EUA quiserem estender embargo de armas
    Partido alemão se opõe à presença 'nuclear' de armas dos EUA na Alemanha
    EUA impulsionam gastos globais recordes em armas nucleares, expõe relatório
    Tags:
    Europa, Estados Unidos, embaixadora, Alemanha, Polônia, armas nucleares, OTAN
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar